sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O Supremo Gran Circo já estava armado e contando conosco para palhaços

O circo já estava armado. Fachin fincou os mastros dando uma de isento para tirar de si a pecha de petralha, enquanto Barroso e outros armaram a lona. A farsa foi tão bem engendrada que Toffoli foi irrepreensível em seu comentário: “Nós estamos tolhendo a soberania popular. Vamos criar deputados de primeira e de segunda classe”. Logo quem!

Gilmar Mendes, talvez o único a não participar da farsa, mandou

Vamos dar a cara à tapa. Estamos tomando uma decisão casuística. Assumamos então que estamos manipulando o processo.”

“Os 171 votos necessários para permitir que se escape de impeachment não são suficientes para governar. Estamos ladeira a abaixo, ontem fomos desclassificados mais uma vez, estamos sem governo, sem condições de governar, com um modelo de fisiologismo que nos enche de vergonha.”

E ainda comentou na Jovem Pan:

“Existe um projeto de bolivarização da Corte. Assim como se opera em outros ramos do estado, também se pretende fazer isso no tribunal e, infelizmente, ontem tivemos mostras disso. Vamos fazer artificialismos jurídicos para tentar salvar, colocar um balão de oxigênio em quem já tem morte cerebral.”


11 comentários:

  1. (argento - vale o repeteco?) ...

    (argento) ... segundo dispõe a Constituição (referência maior) SOBERANA, em seu Parágrafo Único: "Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição."

    Art. 2º São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário.

    ... da subordinação: embora sejam independentes, são interdependentes e Harmônicos; a precedência de uma ou outra casa não implica, necessariamente, subordinação mas HARMONIA!

    ... votamos (damos Legitimidade) para o representante do Executivo (Preside a República) e para os representantes do(s) Legislativo(s), Senado Federal e Câmara dos DePutados. Ao Senado cabe a Defesa (guarda) da Constituição e dos Interesses da República; aos Deputados o Interesse POPULAR.

    ... pelo paragrafo único da Constituição SOBERANA, a Vontade Popular tem PRECEDÊNCIA (PRIORIDADE) Sobre Quaisquer Outros Interesses, sejam eles do Executivo, do Legislativo ou do Judiciário!

    ... parece que a formação dos nossos "ritualistas" os faz "esquecer" o mais Primário, sem o qual não há Democracia, mas TIRANIA ...

    ... e o Judiciário? - bão, tem a liberdade da escolha: ou é Democrático ou Tirano ...

    ResponderExcluir
  2. Ricardo, eu concordo plenamente contigo, o circo já estava armado, Fachin e Toffoli posaram de independentes e os outros garantiram o espetáculo. Vejamos o que a juíza Cármen Lúcia quando Delcídio foi preso:

    “"Na história recente da nossa pátria, houve um momento em que a maioria de nós, brasileiros, acreditou no mote segundo o qual uma esperança tinha vencido o medo. Depois, nos deparamos com a Ação Penal 470 e descobrimos que o cinismo tinha vencido aquela esperança. Agora parece se constatar que o escárnio venceu o cinismo. (...)”.

    Agora mais do que nunca, comprovou-se que Delcídio falou com a certeza de que o STF atenderia aos interesses da organização criminosa. A juíza, autora da frase, sem dúvida mostrou de forma inequívoca e incontestável que o escárnio venceu o cinismo.

    Quando iniciou a ação, o TMU fez uma postagem, onde comentei sobre a tal da “chapa única”. Meu comentário pode ser resumido com o comentário feito por Eduardo Cunha: “Se a chapa única for reprovada, o que acontece depois”?

    Agora só me resta parabenizar os movimentos pró impeachment e os membros da imprensa que retiraram das ruas quem defende uma intervenção militar. Caso a intervenção ocorra, já sabemos de que lado essas pessoas estarão, ao lado do “exército do Stédile”, enquanto isso não acontece, farão de tudo para que as Forças Armadas sejam serviçais do PT.

    Não vamos esquecer que a oposição na Venezuela só conseguiu um resultado favorável quando as FFAA de lá deixaram de se submeter às “instituições constitucionais” que implantaram o regime de Hugo Chave naquele país. Alguns dos defensores dessas mesmas instituições no Brasil, tiveram a capacidade de dizer que as FFAA apoiaram o chavismo, uma mentira descarada, as FFAA da Venezuela fizeram exatamente aquilo que “os defensores da solução constitucional” dizem que deve ser feito.

    Na Venezuela, não houve intervenção militar, mas houve uma insubordinação às “instituições constitucionais”, ou seja, deixaram de atender às convocações dessas “instituições constitucionais” para reprimir a população. Agora pergunto: deixar de atender à convocação não é tão inconstitucional quanto fazer uma intervenção?

    Se tem alguém que saiu fortalecida perante as “instituições constitucionais”, foi a Dilma, que mandou o Temer para o escanteio e transformou, definitivamente, o PMDB em puxadinho do PT.
    Para finalizar, pergunto aos defensores da “solução constitucional” que diferença pode fazer a saída do PT do poder executivo? O novo governo, seja qual for, não vai precisar de maioria no congresso? Se é necessário maioria no congresso para governar, como o novo governo vai conseguir essa maioria, pela nobreza dos mesmos que deram maioria ao PT?

    ResponderExcluir
  3. A votação em si provou que foi tudo uma armação, mas Marco Aurélio Mello confessou publicamente que votou politicamente e não juridicamente:

    “Uma vez arquivado o processo de impeachment, a presidente terá mil adesões. Sairá fortalecida para dialogar, visando combater a crise econômico-financeira, que é a que repercute na mesa do cidadão”, analisou o ministro. “Por outro lado, se com essas regras ela for afastada, paciência.”

    Fonte: http://www.oantagonista.com/posts/de-primo-de-collor-a-dilmista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... - http://espaco-vital.jusbrasil.com.br/noticias/114388129/dilma-nomeia-filha-de-marco-aurelio-mello-como-desembargadora-do-trf-2

      Excluir
    2. Eu ia colocar essa informação no comentário, acabei esquecendo. Grato pela colaboração.

      Excluir
  4. Ser jurista no Brasil é o mesmo que ser sacerdote, os pareceres são feitos de acordo com a crença que desejam professar. Dalmo Dallari, que ajudou a produzir o pedido de impeachment do Collor, agora diz que impeachment é golpe.

    Dalmo alega que “neste momento” o pedido de impeachment é golpe, como se houvessem momentos específicos onde o impeachment pode ou não pode ser pedido. Dalmo fez uma comparação do atual pedido com o pedido contra Collor:

    “Contra Collor, houve acusações com muita comprovação de desvio de recursos públicos em benefício pessoal ou de amigos. Foram indicados atos praticados pelo presidente e determinações dele que configuravam crime de responsabilidade, ou seja, era flagrantemente contrários à lei. E este é o ponto fundamental, que dava fundamentação jurídica e, portanto, legitimidade ao pedido”

    No caso presente, o que há são, primeiro, afirmações que mais que evidentemente não servem de fundamento. Por exemplo, dizer que Dilma Roussef, quando presidente da Petrobras, se omitiu, Primeiro que a Constituições exige “atos” presidenciais, Ora, omissão é ausência de atos. Segundo, a Constituição exige para impeachment que esses atos tenham sido praticados agora, no mandato como presidente”.

    “E não há a mínima acusação de que ela tenha desviado recursos financeiros em proveito próprio ou de alguém ou para aplicação ilegal, contrária a lei orçamentária”.

    Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/12/1721195-afastar-dilma-agora-seria-golpe-diz-autor-de-acao-contra-collor-em-92.shtml

    Então vejamos, no caso do Collor: primeiro, não houve nenhuma acusação de desvio de dinheiro público; segundo, tudo foi feito através de PC Farias, que usava o nome do Collor para extorquir empresários, mas que não tinha cargo; terceiro, não existe um só indício de que uma empresa foi beneficiada por influência de PC Farias; quarto, não existe um só indício de que Collor mantivesse contato pessoal ou por telefone com PC Farias; quinto, o pedido impeachment foi baseado na compra de um Fiat Elba (um carro mixuruca), não há qualquer relação com dinheiro público, o carro (carroça) foi pago com um cheque de conta fantasma, mas nunca foi mostrado como esse cheque chegou onde chegou, ou seja, nunca foi provado que Collor sabia que o cheque era de uma conta fantasma.

    No caso da Dilma, existem documentos DESTE mandato, analisados pelo TCU, assinados por Dilma, mostrando que recursos (BILHÕES) foram desviados de uma destinação contábil para outra, contrariando totalmente a lei.
    Desculpe-me o jurista, mas desvio é desvio, não importa para onde foi desviado, importa que não chegou onde deveria ter chegado. Quanto ao benefício próprio, seria interessante se o jurista se informasse um pouco melhor, pois benefícios não existem apenas financeiramente.

    Dilma se beneficiou politicamente, manipulando a opinião pública para melhorar sua popularidade, se a manipulação não obteve o êxito desejado, é irrelevante, o que é relevante é o acontecimento, o fato propriamente dito, ou seja, alegar que o assalto ao banco não obteve sucesso não inocenta os assaltantes.

    O jurista diz que a constituição exige “atos” e omissão é ausência de atos, no entanto, responsabilidade existe tanto para atos como para omissão, concorrer de qualquer forma para o ato ilícito equivale a praticá-lo, segundo o Código Civil Brasileiro, omissão diante de um fato corresponde a permitir a ocorrência do fato, ou seja, a omissão é uma permissão, e, uma permissão é um ato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ia escrever exatamente sobre Dalmo Dallari e Fábio Konder Comparato, juristas só porque juraram fidelidade à esquerda corrupta. Publico você.

      Excluir
    2. Grato por transformar meus comentários em postagens! Tenho certeza que o comentário não vai ao encontro apenas do seu ponto de vista, milhões de pessoas escreveria a mesma coisa com outras palavras. Mais uma vez você mostrou que o TMU valoriza o conteúdo que seu público recebe, mesmo que o autor não seja o proprietário do blog.

      Excluir
    3. Quem tem que agradecer sou eu, Milton. Sua colaboração enriquece o TMU.

      Excluir
  5. (argento) ... Ah!, a Grécia, tão enaltecida como o "berço" da(s) Democracia(s)! ... mó barato, o homem, esqueceu fácil (desaprendeu?) que, da Grécia antiga, também vem a(s) TIRANIA(s) - "a diferença entre Remédio e Veneno está na TOLERÂNCIA e na Dose" ... parece, a merda não vai dar pra todo mundo não; bebamos o Rum antes que salgue ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... "um olho no Padre, outro no Misses" ...

      Excluir