quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Os petralhas detestam os pobres

“Precisamos entender até que ponto a cultura de violência já vivida na periferia já emigrou para esse tipo de ação.”
Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República do Brasil, um safado que tem muito a explicar sobre o assassinato de Celso Daniel, evidenciando que os petralhas, muito, mas muito mesmo, ao contrário do que querem fazer passar, detestam os pobres, ao atribuir a selvageria dos black blocs a influências da “cultura de violência da periferia”.

Antes que algum petralha engraçadinho se arrogue no direito de questionar o que eu disse, eu recomendo aos raros não analfabetos funcionais que se encaixam nessa categoria que leiam o que disse o calhorda com a devida atenção. A frase não deixa dúvidas: afirma peremptoriamente que a violência vem da periferia - lugar de pobres - e que nós (ou eles, o governo) apenas precisamos descobrir por que foi assimilada por vândalos de uma classe, digamos, mais prestigiada.

Acusação grave e espúria, como se não soubéssemos todos que esses filhos da puta estão a serviço do PT, pagos que são para tentar desacreditar as manifestações legítimas do povo.

Gilberto Carvalho é a escória. Está no último degrau da degradação moral que é capaz de atingir um ser humano.

Só faltava essa: cotas para parlamentares negros!

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê a reserva de vagas para parlamentares de origem negra na Câmara, nas Assembleias Legislativas nos estados e na Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Pela proposta, a fração de políticos negros “corresponderá a dois terços do percentual de pessoas que tenham se declarado pretas ou pardas no último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)”, desde que o número de vagas não seja inferior a um quinto ou superior à metade do total de vagas. Em números, na Câmara dos Deputados essa cota significaria uma reserva de pelo menos 102 cadeiras para parlamentares negros. A cota, conforme o texto sugere, teria prazo de vinte anos, prorrogáveis pelo mesmo período. A matéria será analisada agora por uma comissão especial e, se aprovada pelo colegiado, seguirá para aval do plenário.

E eu que pensei que essa Comissão de Constituição e Justiça tinha uma meia dúzia de deputados. São 86 titulares e 70 suplentes, ou seja, foram necessários 156 picaretas para elaborar uma excrescência dessas! Mas o que esperar dessa comissão se ela é composta por figuras do calibre de João Paulo Cunha, José Genoíno, José Mentor, Ricardo Berzoini e, last but not least - pasmem -, Paulo Maluf? Três mensaleiros, um aloprado e um ladrão internacional.

Na verdade não há mesmo muita escolha entre os 513 deputados da Câmara Federal, já que a maioria responde a processos, sendo que alguns, “muitos alguns”, têm até coleção deles, mas, pensando bem, até que eles estão no lugar certo, só que do lado errado de uma comissão que se intitula “de Justiça”. Há muita intimidade entre esses picaretas e essa senhora cegueta...

Mas voltando ao assunto das cotas, independentemente de quem quer que tenha criado e aprovado mais esse absurdo, isso é apenas mais um resultado da tragédia que se abateu no Brasil desde que o primeiro idiota analfabeto comunista (tripla tautologia) pisou no Alvorada como presidente, trazendo a reboque as políticas de merda que seus asseclas o ajudaram a elaborar, entre elas a ideia de aumentar o analfabetismo e, por conseguinte, criar uma legião de cretinos para idolatrar um deus, feito à sua imagem e semelhança, Lula, Primeiro e Único (assim espero).

Eu nem vou entrar em detalhes sobre esse novo desatino, mas gostaria de lembrar que esse tipo de notícia - que é grave - só é digerido (e mal) por uma ínfima parcela da população, pelo pouco espaço dado pela imprensa, pela falta de interesse geral, pela cretinice coletiva incentivada pelo governo e, principalmente pelo fato de 72% da população não saber o que lê e nem decodificar o que ouve - se a notícia fosse escrita ou dita em aramaico, não faria a menor diferença.

É por isso que eu insisto em fazer inimigos e ex amigos ao tentar explicar, em português claro, o que se passa de verdade neste país, quando eles me vêm com um “mas”  ou um “em compensação” em relação às minhas críticas aos petralhas e congêneres. Não há “mas”. Definitivamente não há nada que preste que tenha sido feito ou esteja por se fazer por esse governo de canalhas.

Como eu já disse antes, sou ateu, mas estou aprendendo a rezar. Já que não há solução humana possível e já que a oposição é feita de covardes, só me resta tentar encontrar e depois apelar para que Deus nos livre dessa praga de PT.

Rasgando a Fantasia

‘Rasgando a nossa fantasia’, de Carlos Brickmann

Pegue o trem-bala em Campinas e vá até o Rio em altíssima velocidade. Faça baldeação para outro trem, o da Ferrovia Norte-Sul, e viaje paralelamente aos canais de transposição das águas do rio São Francisco. Na região que antigamente era árida, beba água pura à vontade, trazida de mananciais distantes.

É possível? Claro que sim: o trem-bala, que deveria estar pronto para a Copa, e a transposição das águas do São Francisco correm em paralelo ─ ambos são sonhos futuros. A Ferrovia Norte-Sul, que já provocava escândalo nos antigos tempos do presidente José Sarney, continua no ritmo de Martinho da Vila: é devagar, bem devagar, é devagar é devagar devagarinho. A transposição do São Francisco vem do império, de D. Pedro 2º, que prometeu vender até a última joia da coroa para acabar com a seca do Nordeste. Perdeu a coroa, sem vendê-la. E a seca do Nordeste continua ganhando de goleada ─ sempre com a ajuda do apito ladrão.

Oito mil creches! E 800 aeroportos, que a presidente, estimulada pelas luzes de Paris, prometeu construir! E os royalties do pré-sal, revolucionando Educação e Saúde! O pré-sal ainda não foi extraído, vai levar uns 15 anos para começar a render, mas a festa está no ar. Creches? Estarão prontas um dia, quem sabe. Os 800 aeroportos não existem, nem caberiam no país, mas o número é tão bonito! Há as casas dos desabrigados de Petrópolis, que não têm teto, que não têm nada; os caças da Força Aérea, esperando os aeroportos; Internet para todos, espalhando seus sinais sem fio, de graça, pelo Brasil. Sonhar não é um sonho impossível.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Toupeiras geriátricas espantam o Alzheimer

Artista é bicho esquisito mesmo, com algumas exceções. Fazem de tudo para serem reconhecidos e endeusados, ao mesmo tempo que se escondem do assédio. Permitem sem chiar que os repórteres de perfumarias e os paparazzi revelem suas intimidades em revistas de abobrinhas e aceitam invasões de revistas “chiques” às suas residências, mas não querem ver tudo isso reunido em uma só obra.

Simples mesmo foi o Noca da Portela que disse “depois que eu morrer, podem até me chamar de viado”, o que não significa nada para a questão em si, mas apenas a trata com o desprezo que ela deve ser tratada.

Tudo isso é falta do que fazer. Riquíssimos, todos os que abraçaram a causa da censura não produzem nada que preste há mais de vinte anos, não sei se por preguiça ou por esgotamento de talento, sé é que isso é possível, resolveram, juntos, sair do marasmo e, para espantar o tédio e o Alzheimer, arrumaram sarna para coçar. Errados ou não, eles estão é tirando as teias de aranha dos seus cérebros que, na maior parte dos casos, nunca funcionaram muito bem quando o assunto é outro que não seja a música. Ou vão querer me enganar que Roberto, Erasmo, Gil, Caetano, Chico ou Djavan já produziram algo relevante, à exceção de belas canções? E já não é o bastante?

Dá pena, mas eu, pelo menos, não estou conseguindo separar a cagada conjunta dessas toupeiras geriátricas das suas obras.

Os escarnecedores

“Merece minha homenagem pelo seu comportamento digno.”
Lula referindo-se a José Sarney, a quem atacava durante a Constituinte, em visita ontem ao congresso (com minúscula  e rebaixado mesmo), onde foi recebido com tapinhas nas costas por alguns dos “300 picaretas” que certa vez afirmou existirem por lá.
Os dois maiores responsáveis pela merda que é o Brasil de hoje continuam rindo da nossa cara e agradecendo aos imbecis que os elegeram.

Uma asna definitiva

Abalos em Crato

Como as atividades sísmicas no Rio Grande do Norte aumentaram muito na última década, o governo brasileiro resolveu instalar um sistema de medição e controle de abalos cobrindo todo o país.

O recém-criado Centro Sísmico Nacional, poucos dias após entrar em funcionamento, detectou que haveria um grande terremoto no nordeste do país, no interior do Ceará. Assim, enviou um telegrama à delegacia de polícia de Crato. Dizia a mensagem:

“Urgente! Possível movimento sísmico na zona.
Muito perigoso. Richter 7. Epicentro a 3km da cidade.
Tomem medidas e informem resultados com urgência.”

Uma semana depois o Centro Sísmico recebeu um telegrama que dizia:

“Aqui é da Polícia do Crato.
Movimento sísmico totalmente desarticulado.
Richter tentou se evadir, mas foi abatido a tiros.
Desativamos a zona.
Todas as putas estão presas.
Epicentro, Epifânio, Epicleison e os outros cinco irmãos estão detidos.

Não respondemos antes porque teve um terremoto da porra aqui!”

Do Blog de Giulio Sanmartini, atualizado por mim.

Papo com Danilo Gentili, Olavo de Carvalho e Lobão

terça-feira, 29 de outubro de 2013

O que é que a Justiça está esperando para prender Valdemiro Santiago?

Vejam só: a Igreja Mundial do Poder de Deus, do “apóstolo” Valdemiro Santiago, agora pede aos fiéis que se passem por “enfermos curados, ex-drogados e aleijados” em nome de um projeto de expansão da igreja, qual seja a compra do canal 32, que é uma concessão do Grupo Abril que vinha sendo usada para transmitir a programação da MTV Brasil em sinal aberto. Ele estaria à venda por R$ 500 milhões.

Para isso, o calhorda está pedindo aos seu “bispos” que distribuam uma carta em que solicitam “pessoas que possam viajar, para dar seu testemunho de consagração e vitória”, em um projeto pensado para “convencer mais pessoas a contribuírem financeiramente para a aquisição do canal 32”, conforme vocês pode ver na cópia encontrada em uma sala do templo da Avenida João Dias, na zona sul de São Paulo.

P.S.: A notícia saiu no site R7 (que é suspeitíssimo, se for o caso dele ser realmente ligado à igreja do Macedo, como há pouco me disseram), entre outros, com a referência do  colunista Daniel Castro que a publicou em seu site no portal UOL, mas eu não a "peguei" de lá. 

De qualquer maneira essa carta, se verdadeira, é apenas mais uma entre as milhares de picaretagens desse safado.

Carlos Burle e Maya Gabeira no “Canhão de Nazaré”: loucos!

Primeiro, Carlos Burle resgata e ressuscita Maya Gabeira (eu é que não queria estar na pele do Fernando Gabeira, pai de Maya)...

...Para depois surfar a maior onda já surfada por alguém, com 30 metros de altura!

Quem já pegou onda sabe que dá um prazer incrível. Meu negócio era pegar "jacaré", de peito, mas cheguei a arriscar algumas surfadas, ainda no tempo que as pranchas eram enormes trambolhos de mais de três metros de madeira, pesando uns 20 quilos, talvez, e afundava!

Aliás, eu falei que o Gabeira deve sofrer, como pai, mas também passei por isso com meu filho mais velho, um ex-louco-marinho. Certo dia eu estava na praia aqui em Ipanema e as ondas estavam gigantescas. Não havia ninguém dentro d'água, nem na beira. Como eu estava sozinho e como acho o mar bravio uma das coisas mais lindas que a natureza nos pode proporcionar, parei de ler meu jornal e fiquei apreciando as ondas. Lindas. De repente vejo uma cabecinha bem longe, que descia as ondas aos trambolhões e voltava para pegar outra. Como a correnteza estava forte, a cabecinha  vinha, aos poucos, se aproximando do ponto onde eu estava, mas mesmo assim quando o doido estava bem em frente a mim não deu para reconhecer meu filho - como vocês já devem ter imaginado -, então com 14 anos, pelo fato da rebentação estar muito longe. Segui acompanhando Rafael até que ele resolveu sair, depois de ter percorrido uma distância equivalente a dois quarteirões (uns 400 metros) em função da correnteza. Respirei aliviado, mesmo não sabendo de quem se tratava, e como a "figura" voltava na minha direção caminhando pela orla, continuei acompanhando até reconhecê-lo, quando quase desmaiei. Não foi nada agradável, mas o pior foi ficar com o coração na mão toda vez que o mar estava de ressaca.

Mas, voltando ao Burle e à Maya, entre o prazer de pegar "marolas" de dois metros e a loucura de se jogar do alto de um prédio de dez andares, há uma distância que vai da vida à morte. É lindo, emocionante, mas aflitivo de se ver, mesmo que se saiba que, entre mortos e feridos, salvaram-se todos. Não é à toa que esse pedaço de praia é chamado de "Canhão de Nazaré".

São uns loucos varridos e enxaguados!

Não seria bem melhor que a gente só visse Maya como no vídeo abaixo?

Chamei de mau gosto o que vi...

Fala sério! O que é que vai sair daí?

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Escritor branco, poeta negro. É de arrepiar.

Theresa sobe nas tamancas e eu apoio.

Quer dizer que agora o “rótulo branco” será uma sistema:
Branco= elite, maligno, capitalista, escravagista e muitas outras coisinhas mais.

Pelo andar da carruagem, talvez num futuro próximo, o leitores que quiserem ler algo de um escritor branco, terá que adquirir também um exemplar de um livro escrito por um negro.

Vivemos em uma era inquisitória. Querem nos impor tudo e não há liberdade sequer de expressão, pois se você não concorda com algo e tem opinião diversa, o rótulo de racista é colado na tua testa.

Não podemos dizer o que queremos e sentimos, a nossa opinião virou acessório. Não há liberdade de expressão quando a tua expressão é diferente da dos “outros”

Assim como os miseráveis foram elevados a classe média por obra do “bolivarianismo agudo”, outras barbaridades estão a caminho.

Escritor branco, poeta negro. É de arrepiar.

Um bom papo entre Constantino e Lobão

Quando tiverem tempo - são quase duas horas de papo - vale a pena assistir. Não há nada de novo que ainda não tenha sido dito, mas é confortante ver que as vozes racionais da direita liberal são cada vez mais ouvidas e principalmente respeitadas como ameaças concretas à hegemonia dessa falsa elite intelectual esquerdopata que se arvora em dona da verdade e que tomou de assalto o país.

Como bem diz o Full, é fundamental para quem é de oposição ecoar à exaustão as boas alternativas ao que aí está como poder constituído e não ficar inutilmente tentando achar pelos em ovos, discutindo se Marinas e que tais que se apresentam por aí, tão medíocres e mentirosos quanto ela, são opções que valem a pena, porque, definitivamente, não valem nada: ou são farinhas do mesmo saco ou são covardes que se borram de medo de assumir posições de uma oposição de fato e perder prestígio junto ao podre poder vigente. São caçadores de "boquinhas".


Brasil, estranho Brasil...

Deu no Ancelmo que depois da polêmica na Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha, onde a delegação oficial do Brasil tinha um único escritor negro, Paulo Lins, vem aí de 15 a 17 de novembro, em São Paulo, a Flink Sampa Afroétnica.

Além de Paulo Lins, a festa literária negra terá, entre outros, Ana Maria Gonçalves, Nei Lopes, Joel Rufino dos Santos e Joel Zito Araújo. Seu curador literário, Uelinton Farias Alves, diz que o evento quer dar visibilidade aos escritores negros, sem espaço para preconceito.

- Se há algum escritor não negro que produza algo de valor na nossa temática, então ele está integrado.

Aliás, participarão os escritores brancos Margarida Patriota, autora de uma biografia do poeta negro Cruz e Souza, e Péricles Prade, presidente da Academia Catarinense de Letras, que tem Cruz e Souza (negro) como patrono.

Isso pode, mas se eu quiser organizar a Flato (Feira do Livro Arianoétnico e Todos os Outros), eu sou preso sem direito a fiança...

Mundo, estranho mundo...

Vejam como é estranho esse mundo. Enquanto na Espanha o povo protesta contra a libertação de terroristas pela justiça, aqui no Brasil o povo os elege para presidir o país...

domingo, 27 de outubro de 2013

Marina Silva, além de ser chata, quer enganar quem?

Quiuspariu! Se algum dia Marina Silva for eleita presidente haverá suicídios em massa de brasileiros, por desespero, a cada pronunciamento dela. Como é chata a pequenina!

Eu sabia que não devia, mas acabei não resistindo à tentação de tentar assistir o vídeo da entrevista que Marina deu ao Jô Soares. Não aguentei dez minutos, dos quais durante sete deles ela não parou de falar, com aquela voz de taquara rachada monocórdia que lhe é característica e leva qualquer um à exasperação.

Mas o pior não é a voz irritante, que fica ainda mais chata pelo português excessivamente formal que ela usa - parece que ela está sempre lendo uma sentença escrita por algum juiz prolixo -, e sim o absurdo da sua argumentação. A pergunta do Jô que deu ensejo a esses sete minutos de sofrimento foi por que ela havia escolhido o PSB, só isso. E não é que durante todo esse tempo ela conseguiu citar um só motivo - o Código Florestal -, e furado? Basta ver a destruição da natureza proporcionada pelo governo de Eduardo Campos em Pernambuco para concluir que, mais uma vez, Marina quer fazer todo mundo de trouxa dando uma de joão-sem-braço.

De mais a mais, um candidato que só tem um objetivo, digo, uma obsessão, no caso dela, as florestas e suas implicações, só pode, no máximo, almejar ser eleito pajé de alguma tribo perdida.

Limitada, sente-se que Marina faz um esforço danado através dessa formalidade na linguagem para parecer inteligente e palatável. Em vão, pelo menos para mim, até porque esse discursinho decorado e furado não consegue encobrir suas ligações com poderosos grupos estrangeiros que querem transformar o Brasil em quintal do mundo enquanto enchem o bolso com a produção e venda sem concorrência das suas commodities agrícolas. Sem contar seu marido, Fábio Vaz de Lima, que é suspeito de um desvio de R$ 44,2 milhões da extinta Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) para a construção, em São Luís, de uma fábrica de autopeças que nunca saiu do papel. O processo, que tem também Roseana Sarney e seu marido Jorge Francisco Murad Júnior como réus,  foi resultado de investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal e denunciado em 2004.

PT continua sendo abrigo seguro de golpistas: Suspeito de golpe na Conab é mantido no cargo por Gilberto Carvalho

Contra a vontade do ministro Antônio Andrade (Agricultura), o petista Sílvio Porto se mantém na presidência interina da Cia Nacional de Abastecimento (Conab), apesar das suspeitas de compras milionárias, sem licitação, usando brechas do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), de incentivo à agricultura familiar. O PAA autoriza compra até o limite de R$ 8 mil anuais por família e R$ 1,5 milhão por cooperativa. A Conab pagou R$ 11 milhões por 3,7 milhões de litros de suco de uva.

A Conab pagou à vista no fim de 2012, no Rio Grande do Sul, mas só 20% da compra começaria a ser entregue após 6 meses... em Curitiba. A suposta compra irregular da Conab foi feita à Nova Aliança e à Aurora, cooperativas poderosas e bem distantes da definição de produtores modestos. A Conab alega que a compra não era de formação de estoque, mas para “doação”. Mas não explicou por que mantém o suco estocado.

Sílvio Porto é ligado ao ministro Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República, o que explicaria sua estabilidade no cargo.

Do Claudio Humberto.

Campanha de Dilma: Investir na Vagabundagem dá mais votos que investir na Educação

A média anual de gastos do governo Dilma com o Bolsa Família (R$ 20,2 bilhões) é mais que os R$ 9,6 bilhões em toda a era Lula.

Dilma conseguiu superar Lula tanto nas pesquisas, como candidata à reeleição, quanto nos gastos do programa Bolsa Família. Certamente uma coisa está ligada à outra: Lula distribuiu mais de R$ 67,368 bilhões aos beneficiários no período de sete anos, enquanto Dilma disparou nas pesquisas de avaliação do governo distribuindo R$ 53,9 bilhões em apenas dois anos e 8 meses.

Os R$ 54,2 bilhões aplicados por Dilma no Bolsa Família são bem mais expressivos que os R$ 43,3 bilhões gastos em educação básica.

Do Claudio Humberto.

Idiotas da América Latina remontam a dois milhões de anos

“Certas épocas não podem ser satirizadas, pois são satíricas em si mesmas e, nelas, a piada é indiscernível da realidade.” Karl Kraus.

Essa frase que mantenho abaixo do título do blog é a síntese do que ocorre hoje na América Latina. Aliás, só hoje não. Faz tempo que os idiotas se sucedem, mandando e desmandando por aqui. Li hoje uma entrevista de Maria Beltrão, nossa mais importante arqueóloga, considerada no mundo inteiro, afirmando que, ao contrário do que se tem como verdade - a presença do homem na América tem 30 mil anos -, há registros de ancestrais do homo sapiens de dois milhões de anos no Brasil. Talvez a idiotice na América Latina também tenha essa idade.

A verdade é que hoje não faltam exemplos: Lula, Dilma, os irmãos Castro, Evo Morales, Rafael Correa, a viúva Kirchner, são apenas alguns membros dessa plêiade de imbecis, mas em se tratando de piada mesmo, nada supera Hugo Chávez e seu chaveirinho herdeiro que o incorpora, Nicolás Maduro, que de maduro mesmo não tem nada, parece uma criança brincando de governar.

Como bem lembrou a Theresa - ontem eu acabei esquecendo -, Maduro se superou mais uma vez com a criação do “Vice-Ministério para a Suprema Felicidade do Povo”, seguindo o pensamento de Chávez que, por sua vez sempre repetia como mantra a frase de Simón Bolívar “o sistema de governo mais perfeito é aquele que produz a maior soma de felicidade possível”.

No entanto é bom lembrar que nós, brasileiros, talvez sejamos os pioneiros da felicidade por decreto na América Latina, graças ao ciclotímico senador Cristovam Buarque que apresentou uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição), para incluir a “busca da felicidade” entre os direitos fundamentais do cidadão. Com ela, o Artigo 6º da Constituição Federal passaria a ser o seguinte: “são direitos sociais, essenciais à busca da felicidade, a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados”.

E toca o bonde que isso aqui não tem jeito mesmo. Só nos resta rir.

Perguntas para (ou de) Fábio Porchat

Taí, gostei.

Fábio Porchat: Opiniões

O que você acha dos Black Blocks? É só vândalo, ou eles estão mostrando que é quebrando tudo que realmente se chama a atenção para as coisas que estão erradas? As manifestações de junho no fundo foram em vão? E os testes em animais? Maldade, necessidade ou faz parte do nosso processo evolutivo? E das biografias não autorizadas, o que você tem a dizer? É censura? Mas e a questão da violação da privacidade? Você viu a Paula Lavigne no Saia Justa? Já procurou saber?

E a greve dos professores? Eles tão certos em querer melhorias, mas é certo ficar meses sem trabalhar prejudicando as crianças? E os bancários? Humor tem limite? E a ditadura do politicamente correto? E essa Marina Silva, hein? Surpreendendo a todos! O que você achou dessa aliança dela com o Eduardo Campos? Será que vai dar uma chacoalhada nessa eleição? O Lula volta? Você viu a Marina Silva no Jô?

Esse Obama é que não sei não... Que você acha dele? O Papa é que tá fazendo uma limpa lá no Vaticano. Mais cabeça aberta esse cara, né? E agora gay não vai mais poder entrar em culto evangélico. Você concorda com o Feliciano? E com o Jean Wyllys? E o casamento gay? E a adoção de crianças por pais gays? Você viu essa lei nova que tá tramitando aí no Congresso?

A Copa do Mundo ser aqui foi um erro? E as Olimpíadas? Os recursos empregados em estádios não poderiam ser destinados a projetos mais relevantes como saúde e educação? E esses clubes brasileiros falidos, isso é má gestão, é muita roubalheira, é o futebol brasileiro que não soube evoluir e se profissionalizar ou é tudo junto?

O que você acha que aconteceu com o Eike Batista? Ele sempre foi uma fraude? E esses cubanos, hein? Isso vai dar certo? A culpa é dos brasileiros que não querem ir pra longe por falta de estrutura ou é culpa do governo, que não possibilita a estrutura? Ou dos dois? Mas não é melhor um médico no meio do nada sem recursos do que nenhum? E se fosse o seu filho numa situação de emergência no interior do sertão?

E a televisão? Acabou? A internet é o futuro? Ou já é o presente? Taí a NetFlix, né? A culpa é da nova classe C, que melhorou de vida mas não mudou de hábitos? Ou é a TV que tem que oferecer a ela coisas melhores? Como é que se resolve essa questão da Síria? É necessária a intervenção dos EUA? A ONU tem tomado as decisões corretas? Por que a Síria e o Irã não podem ter armas de destruição em massa e os EUA podem?

Mas é muito ministério, né não? É tudo jogo político pra empregar aliado que o pessoal teve que fazer pra ter mais tempo na TV. Partido nem existe mais. Ou você acha que era só ter menos siglas que resolveria muita coisa? Que você acha, Fábio? Bom, respondendo sua primeira pergunta...

A humanidade e a liberdade, há 46 anos, devem muito a três bolivianos

Em 8 de outubro de 1967, em uma na aldeia chamada La Higuera, na Bolívia, Che Guevara foi cercado, capturado e, no dia seguinte, morto pelo soldado boliviano Mario Terán, a mando do Coronel Zenteno Anaya e também do vice-presidente René Barrientos.

sábado, 26 de outubro de 2013

Perguntas que não querem calar

Quanto tempo a Venezuela demorou para se transformar em uma Cuba?

Quanto tempo a Argentina demorou para se transformar em uma Venezuela?

Quanto tempo o Brasil vai demorar para se transformar em uma Argentina?

Amebas sensíveis

Nas cartas dos leitores da Veja desta semana há uma frase lapidar de um deles (aliás, uma) sobre o caso dos beagles raptados: “Qualquer ser vivo tem sentimentos”.

De fato, outro dia eu assisti um vídeo em que uma ameba se queixava a uma bromélia sobre as agruras da sua vida, chegando às lágrimas - visíveis.

Tem cada uma...

Energúmenos Globais

Bom, dessa vez vou “copiar” mesmo o Rodrigo Constantino. Não exatamente ele, mas um vídeo que ele postou no blog sobre um tal de “Grito de Liberdade 31/10”, um “evento” obaoba da galera global, gentinha que tem merda na cabeça, que quer reunir todos os coprocéfalos em uma manifestação que nenhum deles sabe para que vai servir a não ser para azucrinar o carioca que tem que viver não só para o trabalho: acima de tudo ele tem que ter seu direito de ir e vir respeitado, o que, certamente não vai ocorrer, principalmente em função da afirmação da Mariana Ximenes sobre o acontecimento de “intervenções artísticas e lúdicas”, atraindo milhares de macacos de auditório e fã-clubes ávidos por ver seus ídolos, o que vai, obviamente, inviabilizar o trânsito.

O vídeo é uma tragédia. Aliás, o vídeo não: seus atores. Marcos Palmeira classifica vândalos presos por depredarem tudo que vêm pela frente como “presos políticos”; Camila Pitanga, garota-propaganda do governo petralha, pergunta a nós - já que esse vídeo é endereçado a todos - onde vai parar a violência, quando a pergunta deveria ser dirigida aos seus amiguinhos black blocs; Álamo Facó diz que essa gente que destrói o patrimônio público e privado, sem distinção, está sendo presa sem provas, apesar dos milhões de vídeos e imagens que dizem o contrário; Georgiana Góes acha que a “mídia está manipulando” sei lá o que, quando as imagens são tão claras; Bianca Comparato acha que a imprensa só mostra o que foi destruído, mas o que mostrar quando não há nada que tenha sido construído por essa baderna?, e mais, diz ainda que o que está sendo destruído são “lugares simbólicos”, quem sabe como uma loja de roupas masculinas ou uma que vende sandálias havaianas; Wagner Moura, o queridinho do PSOL, patrocinador assíduo de badernas, acha que “o efeito psicológico das manifestações foram muito maiores que qualquer pragmatismo”, uma rematada imbecilidade, já que se há “efeitos psicológicos” conseguidos, eles são, obviamente, resultados práticos das manifestações. O menino vermelhinho confundiu psicologia com ideologia...

Enfim, com todo respeito que eles me merecem, é esse bando de energúmenos que tem a pretensão de fazer alguma coisa pelo país. Vão sim, se forem ouvidos, fazer muito pela instauração do caos definitivo, já bem próximo.

Tenham o desprazer de assistir o vídeo.

É só identificação de ideologia

Parece que eu copio as coisas do blog do Rodrigo Constantino, mas não é o caso e também não é por acaso que gostamos dos mesmos artigos, tanto que hoje eu me antecipei a ele ao reproduzir dois deles, de Fiuza e Magnoli, no meu blog “Brasil do PT: O Caos sob várias óticas”, que Rodrigo também reproduziu.

Valem a pena.

Juntando conceitos

Definitivamente eu não consigo me acostumar com certas coisas. Ou com muitas coisas. Sou um sujeito relativamente bem informado, leitor voraz, até de qualquer porcaria. Enfim, sou o que chamam por aí de “antenado”, mas implico com a maior parte das “atualidades” sociais e principalmente com a ideia de se considerar toda “modernidade” nesse sentido como evolução social.

O "casal" Fabio e Alexandre
Lendo hoje o caderno “Ela” do Globo - como eu disse, leio qualquer porcaria -, deparei com a seguinte manchete: “O brechó de Fabio Souza, marido de Alexandre Herchcovitch, na Oscar Freire” e, abaixo, a foto do dito cujo, um rapaz barbudo com cara de tudo, menos de “marido” de um homem. Idem para Alexandre, a “esposa”. E fui parar no Houaiss que dizia “marido: homem unido a uma mulher pelo casamento; esposo”.

Não satisfeito, busquei por “casamento”, que o mesmo Houaiss me informa que é a “união voluntária de um homem e uma mulher, nas condições sancionadas pelo direito, de modo que se estabeleça uma família legítima” e ainda aponta como sinônimo “matrimônio”, cujo elemento de composição prefixal vem da “raiz indo-europeia matr- (mãe), representada em todas as línguas indo-europeias”.

E, só para me certificar em definitivo, fui à Constituição, que diz:

Art. 226. A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.
(...)
§ 3º - Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.
§ 4º - Entende-se, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.
§ 5º - Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher.
(...)

Será que eu sou retrógrado por não aceitar que esse tipo de união contrarie definições, leis e a própria natureza? Será que eu sou “careta” por criticar a imprensa que bota pilha nesse tipo de coisa, com o agravante de cometer erros crassos ao atribuir às pessoas condições inexistentes como a de ser “marido” de um homem?

Vocês já sentiram vergonha por outras pessoas? Pois é assim que eu me sinto ao ver a exposição e exploração públicas desses novos tipos de “casais”. Ridículo! Nada contra o homossexualismo em si, nada contra duas pessoas do mesmo sexo que se amem viverem juntas, mas sim contra esse jardim zoológico midiático que transforma as pessoas em curiosidades bizarras e contra “casamentos”, “maridos”, “esposas” e famílias que não podem existir, nem de fato nem de direito.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Volta, Gabeira

"O País foi moralmente arrasado pela experiência petista e de todos os cafajestes que o governo conseguiu alinhar. Predadores oficiais e predadores de rua se encontram nessa encruzilhada em que um profundo silêncio político se abate sobre nós, com exceção de vozes isoladas.

Precisamos reaprender a conversar, reafirmar valores políticos que não se resumem a casa e comida. Precisamos viver a vida, cuidar mais da bio que da grafia. Precisamos sair dessa maré."

Fernando Gabeira em Biografias inacabadas.

É uma pena que esse cara tenha se afastado da política.

Curiosidade de Sexta

Do blog do Giulio Sanmartini

O lenço dobrado (João 20:7)

Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Poucas pessoas haviam detido a atenção a esse detalhe. Em João 20:7 – nos é dito que o lenço que fora colocado sobre a face de Jesus, não foi apenas deixado de lado, como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos dizer que o lenço foi dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo, na manhã de domingo, Maria Madalena foi à tumba e descobriu que a pedra da entrada havia sido removida. Ela correu ao encontro de Simão Pedro e outro discípulo… aquele que Jesus tanto amara (João) e disse-lhe ela:

“Tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde o levaram.”

Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá chegou primeiro. Ele parou e observou os lençóis, mas ele não entrou no túmulo. Simão Pedro chegou e entrou. Ele também notou os lençóis ali deixados, enquanto que o lenço que cobrira a face de Jesus estava dobrado, e colocado em outro lado. Isto é importante? Definitivamente sim! Isto é significante? Certamente que sim! Para poder entender a significância do lenço dobrado se faz necessário que entendamos um pouco a respeito da tradição hebraica daquela época.

O lenço dobrado tem que a ver com o Amo e o Servo, e todo menino judeu conhecia essa tradição. Quando o Servo colocava a mesa de jantar para o seu Amo, ele buscava ter certeza em fazê-lo exatamente da maneira que seu Amo queria. A mesa era colocada perfeitamente, e o Servo esperava, fora da visão do Amo, até que o mesmo terminasse a refeição. O Servo não podia se atrever nunca a tocar na mesa antes que o Amo tivesse terminado a sua refeição. Diz a tradição que: ao terminar a refeição, o Amo se levantava, limpava os dedos, a boca e sua barba, e embolava o lenço e o jogava sobre a mesa. Naquele tempo o lenço embolado queria dizer:

“Eu terminei.”

No entanto, se o Amo se levantasse e deixasse o lenço dobrado ao lado do prato, o Servo jamais ousaria tocar na mesa porque, o lenço dobrado queria dizer:

“Eu voltarei!”

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Campos e Lula: O roto e o esfarrapado

Deu no CoroneLeaks:

Na foto acima, Eduardo Campos faz um “socialismo o muerte” junto com Hugo Chávez, Lula e Dilma, comemorando o lançamento da refinaria Abreu e Lima, associação entre a Petrobras e a PDVSA, um dos maiores calotes eleitorais já praticados no mundo. Dilma se elegeu no Brasil, Chávez se reelegeu naquele país. Os venezuelanos evaporaram e a Petrobras está tendo que arcar com algumas dezenas de bilhões de dólares de prejuízo, sem contar a roubalheira de centenas de milhões instalada na obra, diversas vezes flagrada pelo TCU.

Desde ontem, Campos bate boca com Lula. E vejam a frase do pernambucano espertalhão: “Já houve um tempo em que a confiança em relação ao Brasil era maior do que no tempo de hoje. Essa é uma questão de caráter geral. Acho que a gente poderia ter em outro momento um leilão com mais disputas.” Quem foi um dos idealizadores da falcatrua acima registrada, precisa não ter vergonha na cara para falar em petróleo. Campos, a cada dia, revela a farsa que representa na política nacional.

Hoje tem palhaçada na Alerj com direito a gays na porta

Deu no Globo
Representantes de movimentos gays e populares ficarão em frente à Assembleia Legislativa do Rio hoje, durante a votação do projeto de lei nº 2054/2013, que estabelece multas ou penalidades administrativas para estabelecimentos e agentes públicos que discriminarem pessoas em razão de sua orientação sexual. A votação deve acontecer a partir das 14h desta quinta-feira. De acordo com o presidente da ONG Arco-Íris, Júlio Moreira, não haverá uma manifestação nem o fechamento de vias. O ativista afirma que acontecerá apenas um acompanhamento do processo de votação.

Mais uma vez eu vou bater na tecla da desnecessidade de leis desse tipo. Essa babaquice me faz lembrar de Stanislaw Ponte Preta com seu Febeapá (Festival de Besteira que Assola o País), comentando sobre a estupidez da criação do Dia da Avó, já que ninguém pode ser avó sem ter sido mãe antes (à exceção daquele cartunista, o Laerte, que virou mulher que vai ser avó depois de ter sido pai).

Como ninguém é gay ou lésbica sem ser homem ou mulher, basta que o quinto artigo da nossa Constituição seja aplicado, já que, por ser claro e direto, não dá margem a chicanas jurídicas. Diz ele: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade (...)” além de mais 78 parágrafos.

É inadmissível que, com tanta coisa importante para ser resolvida, nossos políticos percam tanto tempo se preocupando com benesses para quem não merece. Ou alguém vai querer me convencer que o simples fato de alguém ser homossexual lhe dá o direito a privilégios por mérito ou necessidade?

Bolsonaro é gostoso

Jair Bolsonaro passava ontem às oito e meia da manhã pelo Largo da Carioca, no Rio, quando foi abordado por uma bichinha que, dirigindo-se a ele, disparou:

- Gostoso!

Tudo bem, pode até ser, se bem que há controvérsias. Mas, o que eu gostaria mesmo de saber é o que fazia Bolsonaro numa quarta feira no Rio, em vez de estar em Brasília, trabalhando.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Ando com sérias dúvidas sobre as minhas origens...

Completamente fora de qualquer mercado de trabalho após 25 anos de síndrome do pânico e livre dela há dez anos, hoje eu luto para me manter fazendo o que gosto: pintar e escrever. É lógico que às vezes tenho que fazer algumas concessões irrecu$ávei$ de amigos; um projetinho aqui, uma reforminha ali, mas vou tocando.

Tenho um amigo de 83 anos, fiscal do INSS aposentado e muito bem de vida (honestamente), que vive me azucrinando para que eu faça algum concurso e entre para uma carreira, ainda que breve, pública. Não seria difícil passar e traria tranquilidade à minha esposa que vive preocupada com as contas para pagar no final de cada mês. Acontece que essa ideia sempre me causou arrepios e hoje causa mais ainda, porque com 61 anos e aposentadoria para breve, a única coisa que eu poderia fazer como servidor público seria aumentar o buraco das aposentadorias e pensões. Eu não me sentiria bem por isso, nem por ter que conviver com eventuais apaniguados do sistema e nem tampouco pela característica falta de meritocracia que norteia essas instituições.

Eu ando com sérias dúvidas sobre as minhas origens e acho que não sou brasileiro, porque uma recente pesquisa do Instituto FSB em Brasília apontou o que eu já sabia faz tempo em relação ao Brasil inteiro: 70% dos trabalhadores acham que “a melhor alternativa para melhorar de vida” é “passar em concurso público” e apenas 2% querem trabalhar em uma empresa privada. Abrir o próprio negócio? Só 26% que, possivelmente, pensam em prestar serviços para o governo. Ainda mais agora, que a roubalheira foi descriminalizada e institucionalizada pelo PT.

Como bem lembrou Fernando Rodrigues hoje na Folha ao perguntar sem dar a resposta sobre o que teria acontecido se Steve Jobs fosse brasileiro? Existiria a Apple?

Eu respondo: Claro que não! Se não estivesse morto, aposentado ou fosse funcionário fantasma, estaria trabalhando no Serpro para desenvolver e-mails seguros para um poste que nem sequer sabe falar, que dirá escrever.

Juro que nem sei o porquê de ter escrito esse post, já que eu queria mesmo é falar sobre privatização. Xiiii, tenho a impressão que os alemães (Alz und Heimer) andam me rondando...

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Theresa de Gent, correspondente do Toma na Europa, mete bronca no "professorzinho" esquerdopata

O tal professorzinho poderia convidar os muçulmanos frutos da miséria e das guerras que o Allah lhes proporciona para irem para o Brasil. Acho que não aceitariam. Querem mesmo vir para cá [para a Europa, Theresa mora na Bélgica] onde serão tratados com respeito, dignidade e a pão de ló. Em todas as guerras e maldades que acontecem nos países islâmicos, a Europa tem que acolher milhares e milhares de refugiados. Não é nada fácil colocar no mercado de trabalho um analfabeto somali que só sabe ler o corão. Como é que esta gente poderá concorrer com os europeus? Terão que viver com o dinheiro do estado para sempre, viverão de subsídios e bolsas, e isso gera descontentamento, mas não significa que os europeus estão “judiando” dos muçulmanos. São bem tratados. Tão bem que depois voltam a terra de origem para fazer parte das fileiras dos terroristas e saem matando gente, como aconteceu em Nairobi. Um dos terroristas tem a nacionalidade norueguesa, chegou à Noruega com nove anos e hoje é um terrorista somali das fileiras do Al Shabab. Sujou o nome da Noruega. Há milhares e milhares de cidadãos europeus oriundos de países islâmicos.

Pois, o professor de historia que convide os balseiros africanos a irem para o Brasil em vez de irem para Lampedusa. Creio que já são seis marinheiros italianos que morreram em ações de salvamento nas costas da Sicília e ainda recebem críticas. Vai haver uma cimeira para tentarem resolver o assunto ligado a esta invasão de ilegais que aportam todos os dias.

Os estudantes franceses resolveram deixar as alcovas onde passam o tempo fazendo anéis de fumaça para ventilar as roupas e os cabelos. É uma anarquia total, não querem pagar nada, querem tudo de graça além de exigirem que sejam os outros a pagar para quem não tem direito legal para permanecer no país. Vão se catar! Creio que os noruegueses não estão muito contentes: o louco Breivik deve ter ganho algumas simpatias depois do ataque ao shopping center em Nairobi perpetrado por um somali com passaporte norueguês que foi alimentado, educado e mimado pelo estado norueguês. É difícil.

Não poderemos jamais comparar o genocídio dos judeus e de outros pelos nazis com o que se passa hoje na Europa. Não é de estranhar que a educação no Brasil é morta-viva, com professores deste calibre, um perfeito idiota latino-americano, um excelente militante bolivari-anus. Com certeza é muito ruim aqui, pois perdem a vida aos milhares para alcançar a terra do antagonista de Allah. Por que não vão para a Arábia Saudita?

Ademais a lei tem que ser aplicada, mas o bando de leftards juvenis querem é festa.

O discursinho furado de um marinófilo

Comentário de um anônimo no post onde Rosenfield “traduz o marinês” para o português claro:

“Peço perdão, mas tenho que dizer. Um dos piores textos que já li. O autor do texto deve ser do tipo que acha que desenvolvimento e ambiente saudável não podem coexistir. Cada vez mais dependemos das grandes corporações (Monsanto, Dow, Bayer...) que vendem seus venenos (e as plantas transgênicas que resistem a seus venenos, claro), faturando alto em cima disso e impondo uma dependência injusta aos pequenos agricultores, que ainda são os maiores responsáveis por nos fornecer alimento. Mas parece que o Sr. Denis não enxerga isso. E assim o Brasil se torna o campeão mundial no consumo de agrotóxicos. Temos cada vez mais pessoas doentes também. E as florestas, com o novo Código Florestal, amplamente defendido pela bancada ruralista do Congresso? Anistia de desmatadores, diminuição da proteção de matas ciliares... Mas há quem não se importe com isso, pelo visto. Afinal de contas, nem temos problemas ambientais, certo? Ninguém desmata nada, não falta água em lugar nenhum, não acontecem enchentes no Brasil... Enfim, o autor deve achar que seus netos comerão e beberão dinheiro, sem problema algum.”

Minha resposta:

Para começo de conversa, não precisa pedir perdão. Aqui o papo é livre. Mas fica claro que você é, basicamente de esquerda, um anticapitalista como outro qualquer que atribui ao dinheiro livre a culpa por todos os pecados do mundo, mas, gozado, de Marina a soldo do capital estrangeiro você não diz nada...

Bom, os agrotóxicos não entraram no texto. Aliás, eu gostaria de saber o que é que os transgênicos têm a ver com agrotóxicos, a não ser o fato positivo de muitos deles terem sido desenvolvidos com o intuito de dispensar seu uso. De mais a mais, os transgênicos são o resultado de manipulações genéticas e não há nada que impeça seu consumo normal, como qualquer outro organismo de origem “natural”. Digo organismos, de uma maneira geral, porque todos nós estamos fartos, há muito tempo, de consumir carnes de animais geneticamente modificados. Os porcos, frangos, bois, carneiros, que comemos são, em sua grande maioria, transgênicos, talvez até há mais de um século. E hoje, até os camarões, salmões e trutas que, quando a grana permite, incorporamos no cardápio, têm muitas chance de terem sido fruto da engenharia genética.

Você gosta de tangerina? Pois saiba que quase 90% das tangerinas consumidas no Brasil são transgênicas há muito tempo e nunca ouvi ninguém reclamar delas.

“Temos cada vez mais pessoas doentes também”. Doentes de quê? Presumo que seja em razão dos agrotóxicos. O que vocês não querem ver é que há um milhão de doentes por desnutrição para cada lavrador envenenado. O que vocês não querem ver é que esses envenenados são o resultado da falta de educação da população rural e da falta de controle do governo, nada tendo a ver com a agricultura em si. Por acaso você conhece alguém que tenha tido problemas por comer uma alface ou alguém como eu, que come diariamente alface, cebola, repolho, tomate e tudo mais que vem da terra há 55 anos sem se preocupar se são “orgânicos” ou não e só ter tido uma maldita giárdia quando pequeno justamente porque os agrotóxicos ainda não a combatiam (tenho 61 e nunca dispensei alimentos vegetais crus)?

Ora, deixe de hipocrisia. Eleja Marina e esse discursinho bobo vai se esgotar a partir do momento que começar a faltar comida na sua casa, porque o que você chama de “ambiente saudável” e eu de atraso de vida não sustenta um centésimo de Brasil, e também se esgota até pelo fato de todos os consumidores de alimentos transgênicos e/ou preservados por agrotóxicos estarem vivos e saudáveis, sem que nunca - eu disse nunca - tenha sido relatada uma morte em função do seu consumo.

Dilma em 2010 disse que seria um crime privatizar o Pré-Sal


Dilma ontem, hipocritamente, como é de costume, disse que não foi privatização. Ora, só não foi privatização pelo simples fato de não haver interessados e do único consórcio que participou, ficando, portanto, com o pré-sal, ter 40% de participação da Petrobras. É claro que a intenção era de privatizar mesmo!

Esse pessoal da esquerda não se emenda

Esse pessoal da esquerda não se emenda. Hoje, o vermelhinho Daniel Aarão Reis escreveu um artigo no Globo sobre a proliferação do neofascismo e/ou do neonazismo na Europa. No meio do blablablá ele solta a pérola: “Querem [os neofascistas] uma ordem inalcançável, porque perdida, fundada na autoridade patriarcal e na família monogâmica heterossexual”, como se isso fosse um atentado ao dolce far niente socialista que anda enterrando alguns países europeus.

Aí eu pergunto: qual será a “ordem” que quer Daniel senão o que podemos chamar de desordem, que seja o esfacelamento da família - instituição de terceira classe para os socialistas? Só alguém de esquerda e com muitos parafusos a menos pode condenar a monogamia e o heterossexualismo, sem os quais, simplesmente não há família!

Quanto à “autoridade patriarcal”, há muito tempo não se fala nisso. Mas patriarcal, matriarcal ou mista, a autoridade é fundamental em uma família.

Outro assunto abordado foi a “substituição”, pelos neofascistas, dos judeus pelos muçulmanos como inimigos a serem combatidos. Como ele deve ter se lembrado a tempo e não querendo se passar por bobo definitivo, Daniel mencionou, no fim, meio constrangido, a expulsão da garota Leonarda Dibriani e sua família muçulmana pelo governo socialista da França, a quem atribuiu apenas complacência com o fato, insinuando, como se tivesse cabimento, que quem a expulsou foi a polícia, que seria fascista. Só da cabeça de um esquerdopata mesmo.

E é isso, essa falta de senso que esses caras querem pro Brasil.

Em tempo: esse cara é professor de História Contemporânea na Universidade Federal Fluminense. Imaginem o tipo de mundo que ele desenha para os seus pobres alunos...

Lá da terrinha: “A ‘Dança da Piriquitinha’ com mulheres sem cuecas é sucesso na web!”

É que calcinha em Portugal é cueca.

Mas o ponto não é esse. Sem falar na indiscutível falta de qualidade da música (isso é música?) e no insofismável mau gosto do clipe, o que anda chamando atenção é o crescente despudor das mulheres ao se prestarem a coisas desse tipo. Hoje não é raro ver mulheres de todos os níveis sociais se comportando nos salões (ou em qualquer outro lugar) como prostitutas à caça de homens, esfregando-se neles ou entre si, em meneios que são simulações de sexo (chegando às vezes até a consumá-lo) sob o pretexto de estarem dançando.

Sei lá, mas eu acho que muitas delas estão padecendo de indigestão de feminismo, confundindo a liberdade, muito justamente conquistada, com libertinagem.



P.S.: Coisa estranha o título desse vídeo... Onde é que já se viu periquitinha sem corte?...

Pondé no Roda Viva

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Dilma fenomenal...

“Repare como Dilma esbanja carisma. Não é uma sedutora? Que discursos! Palavra fácil, empolgante! Ao final de cada locução, os auditórios se erguem e aplaudem-na em pé, seja em Itapira, seja na ONU. Durante estes anos como "presidenta", não confirmou ela, plenamente, o que Lula assegurava a seu respeito? Observem como o governo foi bem gerenciado. Vejam o rigor com que se cumprem os prazos e se enxugam os gastos. O Brasil tem programa e cronograma, estratégias, previsões e provisões. Você duvida? Não prometera a presidente, aqui na terrinha, em 2010, que sua Porto Alegre teria, enfim, linha de metrô e nova ponte no Guaíba? Pois para desgosto dos incrédulos, as obras estão aí, novamente prometidíssimas! Basta que o Estado e o município, nos anos por vir, "casem" os bilhões que faltam. Um sucesso, o governo Dilma. Agora, se os motivos não se acham bem visíveis acima, então só resta procurá-los dentro das bolsas.”

Percival Puggina em "O Fenômeno Dilma".

Enquanto o Ministério Público dorme, sequestram e matam animais

O pessoal da direita liberal se apressou em condenar o resgate ou sequestro - chamem do que for - dos beagles utilizados como cobaias supostamente para fins farmacêuticos por uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) - mais ou menos uma ONG - de nome Instituto Royal, em São Roque - SP. Eu, também direita liberal, discordo um pouco.

Não vou entrar em méritos da invasão e retirada dos cães e nem tampouco da posterior ação destruidora dos black blocs - hoje inevitável em eventos desse tipo -, mas quero enfatizar que faz um ano que o Ministério Público investiga a empresa sem que nenhum resultado tenha sido apresentado. Ora, diante disso, chega a ser patética a declaração do promotor do Meio Ambiente de São Roque, Wilson Velasco Júnior, ao afirmar que a retirada dos animais do Instituto Royal prejudicou as investigações.

Não está claro, pelo menos para mim, que fins farmacêuticos são esses. A princípio a notícia era que a tal Oscip usa os cães para testar cosméticos e, como o site do Instituto Royal está fora do ar, vou ficar sem saber ao certo, mas se realmente for esse o propósito, já começo a não gostar. E com um agravante: segundo a própria empresa, “em muitas das pesquisas, os cães acabam sacrificados antes mesmo de completarem um ano, para que se possa avaliar os efeitos dos remédios nos órgãos dos bichos”. Remédios ou cosméticos?

Ontem eu acabei vendo o que não queria ver: as cenas filmadas da retirada dos bichos pelos ativistas. Se aquilo que eu vi representa o que o diretor científico do Instituto Royal, João Antônio Henriques, chama de bons tratos - “Eram tratados com muito conforto, com muito cuidado”, disse ele -, eu não sei o que será um animal ser maltratado para esse senhor.

Primeiro que era xixi e cocô para tudo que é lado e mesmo que a gerente, doutora Silvia não-sei-das-quantas, afirme que as baias estariam sujas porque os funcionários foram impedidos de trabalhar no dia anterior, aquilo não me parecia “obra” de um dia sem limpeza, o que a doutora, que tem resposta para tudo, justificou assim: “Conforme 150 pessoas entram dentro de um lugar como esse, os animais se assustaram. Então essa quantidade de fezes e urina é justamente pelo estresse provocado por aquele ato”. Então tá, ver gente dá estresse e estresse dá caganeira e entupir o bicho de cosméticos é que dá alívio...

Mas não é só isso. O que a doutora chama, prosaicamente, de baias são, na verdade, gaiolas de ferro onde, em cada uma, se espremiam vários beagles. Isso também não dá estresse não, né mesmo, doutora?

O pior mesmo foi ver cadáveres de filhotes congelados, os tais que são sacrificados para que se possa avaliar os efeitos dos remédios.

No frigir dos ovos, eu até gostei de ver os cães livres daquele inferno, muito provavelmente por tê-los visto pela TV. Eu não queria ver para que meu coração não amolecesse ao julgar os fatos, mas há tantos absurdos nessa história que, mesmo que meu coração empedrasse, a própria razão condenaria esse confinamento estúpido.

Que fique claro que eu não sou contra testes com cobaias, desde os seus sofrimentos e as suas mortes tenham como resultado a salvação de vidas e não apenas fazê-las perfumadas, que os sofrimentos dos animais sejam limitados a propósitos exclusivamente científicos e que não se estendam em função das suas precárias condições de habitabilidade.

E, é claro, que os órgãos públicos, como o MP, sejam conduzidos por gente que tenha vergonha nas fuças que não apenas finja que trabalha.

Tô nem aí...

Enquanto o couro come solto do outro lado da rua - Black Blocs versus Pré-Sal - três moçoilas se bronzeiam bem protegidas: pelo filtro solar e pela Força Nacional

Denis Lerrer Rosenfield traduz o “marinês” para o português claro e mostra como seria o país paleolítico sonhado por Marina Silva.

“O marinês é uma nova língua política que se caracteriza por abstrações e fórmulas vagas com o intuito de capturar o apoio dos incautos. Suas expressões aparentemente nada significam, porém procuram suscitar a simpatia de pessoas que aderem ao politicamente correto. Mas só aparentemente nada significam, pois carregam toda uma bagagem teórica que, se aplicada, faria do Brasil um país não de sonháticos, mas de pesadeláticos.”

Leiam íntegra de “O marinês”.

domingo, 20 de outubro de 2013

O contribuinte também paga multas dos candidatos safados

Do blog do Claudio Humberto

Terminado o prazo de filiações partidárias, pré-candidatos queimam a largada antecipando campanhas em aparições públicas e programas de televisão, em flagrante desrespeito à lei e aos cidadãos. O Tribunal Superior Eleitoral distribui multas, tentando impedir as infrações. Mas o detalhe é que as penalidades aos partidos infratores são pagas pelo mesmo contribuinte desrespeitado, por meio do Fundo Partidário.

Em 2010, Dilma (PT) foi multada pelo TSE em R$ 25 mil, e Aécio Neves (PSDB) em R$ 22,5 mil, mas quem pagou foi o eleitor-contribuinte.

Saem do bolso do contribuinte os quase R$ 400 milhões anuais que compõem o Fundo Partidário, objeto de desejo dos donos de siglas.

As leis são feitas pelos políticos, e eles definem como e quanto pendurar as próprias malfeitorias no Fundo Partidário.

Até quando a multa é pela má prestação de contas de campanhas, o dinheiro sai dos cofres públicos que abastecem o Fundo Partidário.

Caminhão com explosivos capota no centro do Rio e tudo fica como dantes no quartel de Abrantes

A notícia no G1 foi escrita de maneira a não ser entendida:

A Polícia Civil informou que o caminhão que tombou na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio, na manhã deste sábado (19), continha 48 caixas de cartucho de dinamite em gel, três caixas de cordel detonante NT 40 e uma caixa de cordel detonante NT 75. A avenida chegou a ser totalmente interditada nos dois sentidos e foi liberada em torno de 8h40.

Ainda de acordo com a polícia, o material não foi aprendido, apenas recolhido e transportado para a base do esquadrão onde estava armazenado em segurança à disposição da empresa até 12h deste sábado. O veículo tombou por volta de 6h40.

Agentes da CET-Rio e bombeiros estavam no local em torno deste horário e o trânsito era intenso. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido no acidente.

Pergunto: de quem eram os explosivos? Que “esquadrão” é esse? Quem estava transportando? Qual era a empresa? Quais foram as circunstâncias do acidente? Algum veículo abalroou o caminhão?

De qualquer forma, mesmo que quem escrevinhou isso no G1 seja um imbecil de carteirinha que nem sequer sabe passar uma informação, para um caminhão capotar, a condição básica é a imprudência de alguém. É inadmissível que um veículo que forçosamente deveria ter que rodar a passos de cágado e com a devida proteção policial em virtude da alta periculosidade da sua carga sofra um acidente desse tipo.

Para variar, isso vai passar batido, sem a devida apuração de responsabilidades e sem punição para os culpados.

Piada de Domingo

“Sabe uma coisa que me assusta? A facilidade que as pessoas têm de falar mal de políticos. Não é? Humorista fala mal de político. Pergunte quais foram as pessoas em quem eles votaram nas últimas eleições, para saber que tipo de voto que ele deu. Eu queria dizer a vocês: nunca neguem a política. Esses que ficam trabalhando contra a política não têm noção, que não existe saída fora da política. A política garante a democracia. A política garante a alternância de poder. Somente através da política e da democracia um peão como eu pôde chegar à Presidência. Um índio pôde chegar na Bolívia. O negro pôde chegar nos Estados Unidos. Quando não tem isso, vem o fascismo. É o nazismo. É a ditadura.”
Lula na Fecomércio, no Rio de Janeiro, cometendo um dos seus tipos de discurso preferidos: o hipócrita.