sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Petralhas querem o impeachment de Gilmar Mendes - Falar a verdade para eles é crime!

Segura na brocha que tiraram a escada! Neguinho tá atirando pra todo lado!

Deputados discutem pedido de impeachment de Gilmar Mendes.

A proposta acusa o magistrado de incontinência verbal e negligência. Não há na história do Supremo ninguém que tenha se comportado de forma similar. Alguns dos deputados mais progressistas da Câmara Federal se reunirão na próxima semana para dar seguimento ao pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. A proposta foi levada ao plenário da Câmara, nesta quinta (17), pelo deputado Wadih Damous (PT-RJ). “Gilmar Mendes é uma ameaça à democracia”, afirmou

De acordo com o deputado, o pedido será embasado na mesma Lei 1.079 em que a oposição sustenta o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Entretanto, não irá se fundamentar apenas em hipóteses retóricas. “Há elementos para se pedir o impeachment do ministro Gilmar Mendes não por uma razão específica, mas pelo conjunto da obra”, avaliou.

A atuação do ministro na retomada do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que a OAB move contra o financiamento empresarial de campanha, na última quarta (16), é um desses elementos. Segundo Damous, Mendes não agiu não com a imparcialidade, a serenidade e a seriedade necessárias a um magistrado.

“Durante 5 torturantes horas, o ministro Gilmar Mendes despiu-se da sua toga de magistrado e se investiu do papel de militante partidário. O que se viu ontem lá não foi a atuação de um magistrado, não foi a atuação de um membro da corte constitucional”, argumentou o deputado.

Porta-voz histórico da agenda do PSDB, o ministro é ferrenho defensor do financiamento privado de campanha, prática apontada como cerne da corrupção no país não só pelo conjunto dos movimentos sociais e das entidades civis da sociedade brasileira. Pesquisas de opinião demonstram que 75% da população também é contra empresas financiarem as campanhas políticas.

15 comentários:

  1. Imparcialidade é concordar o PT? Não há por que comentar essa bobagem, mas esse processo tem sido comentado apenas na sua questão política, quando a função do STF é julgar a questão jurídica. Não interessa se vai beneficiar ou prejudicar algum partido, interessa se é ou não é inconstitucional.

    É lamentável que tenham dado tanta ênfase ao conteúdo político do pronunciamento do Gilmar Mendes e nenhuma atenção para a argumentação jurídica. Se é inconstitucional, então o debate deve passar para o Congresso e colocar em pauta uma Emenda Constitucional. Mas o STF deve anular as eleições de 2014.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilmar Mendes concorda comigo, as eleições de 2014 devem ser anuladas ou deverá ser feito um debate explicitamente sobre esse ponto, ou seja, a partir de quando a lei se torna inconstitucional.

      No entanto, eu discordo do Gilmar Mendes sobre ser juridicamente válido fazer um debate para decidir quando uma lei passa a ser inconstitucional, por uma razão muito simples, algo é ou não é inconstitucional, não existe julgamento de QUANDO passará a ser. Inclusive por que seria aceitar que algo inconstitucional fosse aceito juridicamente por um determinado período.

      Excluir
  2. (argento) ... as últimas declarações do Ministro Gilmar Mendes - "agora, como uma Madre Tereza de Calcutá, o PT é contra o financiamento das empresas" - mostra a Contradição de, quem sempre se beneficiou do "processo"; nada mais, nada menos. Mas a Políticanalha OPORTUNISTA, pródiga em fazer da Desinformação sua principal ferramenta de trabalho, tumultua a discussão. De uma coisa tenho certeza: da Condução para a aprovação do "Plano B", o Financiamento com o Dinheiro "Público", como Única solução para perpetuar a Farra ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... e, quem sabe?, a Lista ...

      Excluir
  3. (argento) ... um bom governo deve ATENDER as necessidades de seus governados - um mau (sic) governo seduz pelas dificuldades que cria e pelas"soluções"; soluções que não resolvem ... de nada adianta a "promessa" de velocidade, se os pacotes demoram para ir e voltar ...

    http://www.testeseuping.com.br/

    ResponderExcluir
  4. (argento) ... a última do Gilmar foi "descobrir" a CLEPTOCRACIA como forma de guverno ... Denorôô!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... "demorô", também, reconhecer a Inútil obrigatoriedade do extintor de incêndio, tão inútil quanto os kit de primeiros socorros, que infernizaram a vida dos motoristas - mas o que Arrrecadaram, não tá no gibi ...

      Excluir
    2. (argento) ... falta obrigar as montadoras a desenvolver, fornecer e garantir uma Cadeirinha, de qualidade como ítem de segurança e com sua marca, nos seus veículos ...

      Excluir
  5. (argento) ... de PuTa dos discutem pedido de impeachment de Gilmar Mendes.

    ResponderExcluir
  6. A decisão do STF torna inconstitucional todas as eleições realizadas após a promulgação da Constituição. Portanto nenhum dos juízes do STF é constitucionalmente legítimo, pois foram indicados por presidentes eleitos em eleições inconstitucionais.

    Cumprindo-se a decisão do congresso, deverá haver intervenção em todas as prefeituras, câmaras de vereadores, governos estaduais, assembleias legislativas, governo federal congresso, STF. STF e TSE. Resta como única instituição com respaldo constitucional para fazer a intervenção as Forças Armadas, portanto o argumento de que não existe intervenção militar constitucional é comprovadamente furada.

    Ocorre que a decisão do STF torna inconstitucional a indicação dos juízes que proferiram a decisão e portanto a própria decisão não existe. Os juízes do STF não poderiam ter aceitado a ação da OAB por que o deferimento da petição extingue o direito dos juízes de deferir.

    Como resolver isso constitucionalmente? Com intervenção militar decretando estado de sítio e REMENDAR o furo com Decreto Lei. Fora isso, qualquer outra medida é golpe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... toda a Máfia sabe que o Guarda Livros não pode Maquiar o Livro do Capo; a sentença ṕara Guarda Livros DESONESTOS é a MORTE, não há o que discutir, não tá na "constituição", tá no Código Penal DO BIGODE"...

      Excluir
    2. (argento) ... quem está habilitado a colocar o guizo no gato?

      Excluir
    3. O Código Penal do Bigode estabelece que, aquele que desagradar o Capo perderá o bigode, mas o bigode não perdera o pescoço. Ou seja, o pescoço acompanhará o bigode.

      Excluir
    4. (argento) Legenda:

      "Capo": o BRASIL

      "Livro do Capo": interesses do Brasil

      "Guarda Livros": Eleitos ou indicados para defender o Brasil e os Interesses dos BRASILEIROS, seu POVO (cidadãos)

      Excluir
    5. (argento) ... ps: aos "investidores" externos, sejam benvindos, dispensamos seus "favores", tragam seu próprio dinheiro

      Excluir