segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Parada Gay reúne 800 mil em Madureira, segundo a PM - sobraram dois em Ipanema

O tema foi “Madureira - Terra do Samba e da Diversidade. Somos muitos e estamos aqui”, e bota muito nisso: 800 mil deles - incluindo os simpatizantes -, é gente pra dedéu! Dá quase a manifestação de 16 de agosto no Brasil inteiro e onze vezes mais que os 73 mil do mortadelaço do PT no dia 20.

Fora o gigantismo, a coisa toda foi a lesma lerda de sempre: como incentivo à pederastia, distribuíram 150 mil preservativos.

Ah!, e segundo Juju Maravilha, com uma elaborada fantasia de Carmem Miranda, e Negriny Venture, fantasiada de onça, “preconceito é uma coisa cafona. Já era. As paradas contribuem para dar visibilidade para a gente. Somos iguais a todo mundo.” Portanto, claro fica que elas são iguaizinhas a mim, que alterno minhas roupas de onça e de Carmem Miranda quando vou às compras...

Aliás, enquanto a parada gay rolava em Madureira eu estava tranquilo em minha praia família em frente à Montenegro, acompanhado de uma amiga e da minha filha, até que chegou um par deles, aboletando-se ao meu lado. Eram dois rapazes de barba, físico malhado, que deram pinta assim que começaram a passar protetor solar um no outro. Foi um tal de tanto esfrega aqui e ali que começou a incomodar as pessoas em volta.

Até aí eu fui, meio que já aborrecido, mas quieto. O problema é que logo depois da esfregação rolou um chupão cinematográfico: aí não deu para segurar e eu comecei a esbravejar que praia cheia não é lugar de exageros afetivos para que eles me ouvissem. Ouvir, ouviram todos ao meu redor, inclusive eles que, para minha sorte, eram de paz e não esboçaram reação, a não ser parar com a chupação. Diga-se de passagem eu fui politicamente correto e fiz uma força danada para não mencionar o homossexalismo do “casal”, até porque se a cena fosse entre um homem e uma mulher seria apenas um pouco menos grotesca, mas igualmente deplorável.

É claro que minha filha e minha amiga ficaram danadas da vida comigo e me obrigaram a levantar acampamento, até porque já era hora de sair. E fui, mas não sem antes tirar uma foto dos moçoilos que causaram indignação em muita gente, inclusive dos ambulantes que, embasbacados na imagem, não me deixam mentir.

5 comentários:

  1. Dicionário politicamente exato:
    LGTB: sigla daqueles não são capazes de ter relações afetivas em ambiente privado.
    Boiola: aquele que dá o rabo e não precisa contar para ninguém para gostar.
    Idiotas: o mesmo que LGTB.

    ResponderExcluir
  2. (argento) ... já pensou em Discutir, públicamente, sobre a formação de um partido político formado por Traficantes, Latrocidas, Ladrões, Assassinos, Fraudadores, Psicopatas, ...? ... he he he, fique claro, sem sair do campo das Ideias ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... pensei em excluir este comentário, postado no tema errado(?); pensando melhor, resolvi deixa-lo pois, a Parada Gay, se enquadra na Indústria do Entretenimento ...

      Excluir
  3. (argento) ... "a indústria que mais cresce (e fatura) é a Indústria do ENTRETENIMENTO" ...

    ResponderExcluir
  4. (argento) ... o quê é a "Parada Gay"? - não é o mesmo que uma parada (ou prévia) para apresentar, de forma festiva (olha o Entretenimento aí), a "diversidade de Gênero"?

    https://www.youtube.com/watch?v=kvREsz9vC8M

    ResponderExcluir