terça-feira, 22 de março de 2016

Ô familiazinha podre: Grampo no telefone da nora de Lula tem mais baixaria, nada que preste

Um grampo captado pela Polícia Federal no dia 27 de fevereiro deste ano, flagrou uma curiosa conversa entre Kalil Bittar e Renata, nora do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, esposa de Fabio, o Lulinha, outrora conhecido como “o Ronaldinho dos negócios”. 

Kalil é irmão de Fernando Bittar, o proprietário do sítio onde fica a antena da Oi que serve o Jararaca em Atibaia.

Na conversa entre a dupla, baixaria, palavras de baixo calão, ironias e frases que sugerem uma intima relação entre os dois.

Num determinado momento, Renata pede a Kalil que vá ao encontro dela em São Bernardo, e ele responde, “quem você quer: o amigo ou o canalha”.

Na sequência os dois prosseguem com uma conversa com diversas demonstrações de intimidade, tripudiam sobre dona Marisa Letícia, brincam e dão muitas risadas.

O fato intrigante é que no animado bate-papo do casal, fica claro que o tal sítio de Atibaia realmente pertence ao ex-presidente e que existe ainda um outro sítio, que Renata chama de “oficial”.

Esse a Lava Jato ainda não achou...


10 comentários:

  1. O sítio da adega, dos pedalinhos e das tranqueiras que Lula levou da Presidência da República, onde Lula ia "de vez em quando e de quando em vez", está registrado em nome do Suassuna, o sítio registrado em nome do Fernando Bitar é aquele da torre de telefonia celular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem prestei atenção no texto, Milton.

      Excluir
    2. E alguém consegue prestar atenção nessa confusão? No começo o Suassuna declarou que o sítio dele era ao lado do sítio usado por Lula e o Bittar aparecia como reformador do sítio usado por Lula.

      Agora o Bittar é dono do sítio do Suassuna, que é dono do sítio do Bittar e nenhum deles frequenta o próprio sítio sem pedir permissão ao Lula.

      É claro que eu consigo entender o que está acontecendo, mas que não é fácil dizer quem é quem e quando alguém é alguém, isso não é não.

      Excluir
    3. Já que adentrei na questão de não ser possível comentar todos os absurdos, vou mencionar mais um que está passando em branco. Em O Financista foi publicado o seguinte: "O economista-chefe para mercados emergentes, Neil Shearing, lembra que [...]".

      O absurdo é o seguinte: o Brasil continua sendo considerado um mercado emergente. Estou enganado ou o termo correto seria SUBmergente?

      Excluir
  2. Será em Portugal o sitio oficial?

    ResponderExcluir
  3. Pelo tom acho que os dois não puseram corno no lulinha não, mas certamente lulinha não consegue estabelecer esse diálogo com a própria esposa. Falar em tom de deboche da situação já é um desrespeito, da mãe do cara então não se fala. Mas a tendência é essa, gente que não presta atrai mulher e amigos que não prestam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Marco, sei não, mas eu acho que tem intimidade demais pro meu gosto. Aí tem...

      Excluir