terça-feira, 9 de setembro de 2014

Um bom artigo

Com o século 21 houve uma mudança importante: o marxismo passou de econômico a cultural. De Lênin, Martov e Bernstein, a Gramsci, Lukacs e às Escolas de Frankfurt e de Birmingham. Como isso se deu? Se você ler o Manifesto Comunista de 1848, vai ver que seus autores estão contra o matrimônio e a família, porque são instituições muito ligadas à propriedade privada e ao capitalismo. Porém não há medidas concretas contra o matrimônio e a família, nem contra as igrejas ou a religião. Há só um programa “mínimo” de dez pontos, todos relativos à economia exceto por um ponto: educação pública. É que primeiro era necessário aplicar o marxismo econômico para empobrecer as pessoas; então vem a catequese “educativa” para idiotizá-las. Marx e Engels deixaram para o futuro a investida contra o matrimônio e a família; e contra a religião, em especial o cristianismo.

12 comentários:

  1. (argento) ... outro bom texto, embora maaaaais longo:

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1197

    ResponderExcluir
  2. (argento) ... outro bom texto:

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1197

    ResponderExcluir
  3. (argento) ... houve um "erro no Bloger", por isto os dois comentarios - delete um deles.
    Outra coisa: o LINK da postagem abre em outra "janela"; dá pra fazer o mesmo com os LINK "PT-O caos?

    ResponderExcluir
  4. A intelectualidade atual padece de vícios facilmente sanáveis, no entanto estão sanar os vícios valendo-se dos próprios vícios, criando amplo espaço para pseudo intelectuais e fazendo com que seja muito difícil diferenciar o intelectual do pseudo intelectual e do mistificador.

    A(s) questão(ões) é (são): o que é socialismo, comunismo e capitalismo; o que é esquerda e direita;?

    As respostas são simples e facilmente encontradas estudando a história de forma razoável, infelizmente não há um estudo razoável da história sobre essas questões sendo divulgado nos meios de comunicação, nem um espaço nos meios de comunicação que se proponha a questionar os dogmas intelectuais da atualidade.

    ResponderExcluir
  5. (argento) ... a pergunta é: Por Quê, invariavelmente, ao longo da História Humana, a Maioria SUBMETE-SE à Minoria"? ... (argento)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... será que é a CULTURA ???

      Excluir
    2. Eis a resposta:
      https://www.youtube.com/watch?v=-Y_pQXRMdkA

      Excluir
  6. (argento) ... este é para Theresa - ausencia prreocupante - embora retrate como vive a sociedade muderna do pós guerras (primeira, segunda, fria, ideológica, ... vem aí a terceirinha)

    https://www.youtube.com/watch?v=sNHlZvk09tI&feature=em-hot

    ResponderExcluir
  7. Então tá... (plagiando o Ricardo Froes).
    Resta-me indicar aos debatedores os mesmos livros que estou lendo obrigatoriamente, na disciplina "Setor Agrário e Organização Social no Brasil" (UFMG):
    1 - Nas Terras do Rio sem Dono (Carlos Olavo da Cunha Pereira)
    2 - Vidas Secas (Graciliano Ramos)
    3 - Grande Sertão Veredas (Guimarães Rosa)
    *
    A leitura destes três exemplares poderá esclarecer as dúvidas acima para os intelectuais, para os pseudo intelectuais, para aqueles que "pensam" que são intelectuais, para os candidatos ao intelectualismo e até para os despretensiosos.
    *
    Porém, se você já se considera um crítico, desista das leitura recomendadas. Ela (a leitura) será aproveitada (e prazerosa no sentido de aumentar o rol de conhecimentos) apenas pelos seres humanos cujas mentes estejam com as capacidades de aprender e reaprender ainda intactas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Argento... Por Quê, invariavelmente, ao longo da História Humana, a Maioria SUBMETE-SE à Minoria"?
      Resposta curta e dura: Por causa da FORÇA com que as ideologias se instalam nas mentes humanas!

      Excluir
    2. Graciliano e Rosa são um porre: um, comunista que impregnava seus escritos sertanejos com sua ideologia podre, outro, insuportavelmente chato, tentando reinventar a sintaxe.

      Quanto a esse Olavo, nem sem quem é.

      Aliás a o nome da matéria, "Setor Agrário e Organização Social no Brasil", dá bem a ideia da esquerdização demente do ensino. A única organização social do Brasil que funciona no setor agrário é a do agronegócio, com patrões e empregados, todos muito satisfeitos. Chamar MST e congêneres de organização social é sacanagem, já que todos não passam de parasitas do governo do PT.

      Excluir