quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Produtividade média dos funcionários da Saudi Aramco é 46 vezes maior que a dos funcionários da Petrobras!

A Petrobras tem em seu site uma parte onde responde a um questionário do Globo, e a primeira pergunta é essa:

Pergunta: Quantos funcionários concursados a Petrobras tinha em 2002 e qual o tamanho desse efetivo em 2014? Quantos terceirizados havia em 2002 e quantos há hoje?

Resposta: O efetivo atual do Sistema Petrobras é de 86.108 empregados, que inclui a Petrobras controladora e todas as suas empresas no Brasil e no exterior. Em 2002, esse número era de 40.395 empregados. Em 2002, o número de empregados de empresas prestadoras de serviços no Sistema Petrobras era de 121.225. Hoje são 360.180 prestadores de serviço, frisando que grande parte deles atua em obras de expansão da Companhia (aproximadamente 165 mil desse total).

Esse número se justifica pelo elevado número de investimentos que a Petrobras vem realizando nos últimos anos. No período de 2014 a 2018, estão previstos investimentos da ordem de US$ 220,6 bilhões, os quais elevarão a produção de óleo da Petrobras para o patamar de aproximadamente 4,2 milhões de barris por dia (bpd), além da expansão da capacidade de refino, destacando-se a conclusão da construção das refinarias Abreu e Lima (PE) e Comperj (RJ). A título de comparação, no ano de 2002, os investimentos foram de US$ 6,4 bilhões.

Ou seja: o elefante branco com parasitas vermelhos tem hoje 446.288 funcionários para produzir 2,105 milhões de barris de petróleo por dia (média de agosto), o que quer dizer que a relação funcionário/produção é de 4,7 barris por dia. A Saudi Aramco, com seus 55.441 empregados, produz 12 milhões de barris de petróleo por dia, o quer dizer que a relação funcionário/produção é de 216,45 barris por dia.

Pombas!, tem muita coisa errada aí e só não vê quem não quer! Como é que pode a produtividade de um funcionário da Saudi Aramco ser 46 vezes maior que a de um da Petrobras?

Junte-se isso à roubalheira rasgada e ao uso indevido de dinheiro da estatal para outras atividades, é um verdadeiro milagre que o elefante com parasitas ainda exista. Está morrendo, mas ainda existe.

13 comentários:

  1. É a tal matemática reacionária tentando destruir os "sonhos" do idealismo marxista.

    ResponderExcluir
  2. Marc Aubert. Ferrovias foi a mesma merda: enquanto eram privadas, funcionavam; com a estatização, viraram cabide emprego e foram pro saco, com a ajuda do lobby da indústria automobilística e do JK.

    ResponderExcluir
  3. Não sou a favor do cabide de empregos. No caso em tela é preciso levar em consideração os tipos de exploração que uma e outra fazem pois embora o produto seja o mesmo a característica das jazidas é completamente diferente. A Petrobras é a única empresa do mundo especializada em prospecção e extração em águas ultra profundas. É evidente que a tecnologia para fazer um trabalho pioneiro e sem precedentes exige equipamentos mais sofisticados e mais mão de obra em sua operação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marc Aubert
      Concordo que engenheiros, mergulhadores e operários especializados tenha que ser em maior número. O que incomoda é o assistente do auxiliar do ajudante do assessor do roupeiro que toma conta do traje de mergulho.

      Excluir
    2. Isso não justifica essa discrepância no número de funcionários. Na verdade, esse elefante pintadinho padece do mesmo mal de toda empresa pública: excesso de gente incompetente.

      Alguém já reparou em alguma obra na rua, no conserto de um cano vazando, por exemplo? Tem um de pá e picareta na mão e um espanador enfiado no rabo e cinco, de braços cruzados, olhando...

      A Petebras é assim.

      Excluir
    3. Animal, não sabe que as reservas de petróleo é diferente em cada país, cada país tem dificuldades diferentes e desafios diferentes na extração. Ainda bem que burrice não paga iposto !

      Excluir
    4. Ainda bem mesmo, não é Coelho? Senão, só pela sua frase "as reservas de petróleo é diferente em cada país", você iria à falência!

      Diga-se de passagem, animal é a comadre da sua madrinha.

      Excluir
  4. (argento) ... pegou pesado ao comparar número de pessoas envolvidas e a quantidade de petroleo extraída pelas duas empresas ... já pensou em comparar a produtividade do BraZiu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) a simples comparação entre laranjas e bananas não nos leva a lugar nenhum ... e se comparamos a produtividade com Lucro? no caso da Petrossauro, se alguém disser que este lucro é repartido entre todos, este alguém tá de sacanagem ...

      Excluir
  5. Feliz Natal,Feliz Ano Novo,que seje sempre o melhor,daniela filomena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei de quem se trata, mas obrigado e sempre o melhor pra você também.

      Excluir
  6. Concordo com a roubalheira, mas isso não e só do partido vermelho, sempre foi assim. Inchou um pouco mais, sim mas não tanto. E discordo com a matéria, pois o numero de funcionários apresentados incluiu os projetos em construção e os da Saudi Aramco não. Portanto, se fizer uma matéria, não faca como o PT, faca a bem feita e não tenha intenção de defender ninguém, nenhum politico merece ser defendido nesse pais porque são quase todos bandidos e ladroes e nenhum partido honesto. Nao seja leviano, seja realista. O Brasil e uma M só.

    ResponderExcluir
  7. Já que esta postagem foi requentada por um coelho, vou comentar aqui o caso dos caças Gripen (Suécia), agora está aparecendo informações de lobby envolvendo a compra dos caças.

    Mas não é essa a parte interessante, o Lula tinha interesse em comprar os caças Rafale (França)e durante anos a compra foi adiada porque o Rafale é uma porcaria e a força aérea não queria de jeito nenhum.

    O mais interessante é que, no parecer da força aérea, o caça Gripen foi considerado a melhor opção, portanto não seria necessário um lobby para decidir qual caça seria comprado.

    A terceira participante da concorrência foi a Boing (EUA), até agora não apareceu nenhum lobby por parte dela. Então a situação é a seguinte, o Rafale (França) foi descartado tecnicamente pela força aérea, a Boing (EUA) não fez lobby e o Gripen teve a melhor avaliação do aérea. Para que fazer lobby para a compra do Gripen?

    Conclusão, mesmo quando uma concorrência é vencida tecnicamente e está praticamente decidida, o governo do PT dá um jeito de incluir lobby na negociação.

    ResponderExcluir