quarta-feira, 23 de julho de 2014

Mapa de Israel

A analogia com David versus Golias é interessante, mas falha. Sim, Israel é mais forte em termos bélicos, pois é uma democracia com uma economia pujante, produziu muita riqueza mesmo em território extremamente inóspito e hostil. Mas acusarem Israel de “imperialista” parece demais da conta. No mapa, vejam o “império” avassalador israelense... (Rodrigo Constantino)

8 comentários:

  1. Muito boa a apresentação do "imperialismo" de Israel, mas tem algo muito mais significativo do que o tamanho territorial islâmico e Israel, que infelizmente não tem como apresentar de forma tão eficiente, depende mesmo é de informação e conhecimento.

    É o seguinte: uma grande parcela da população de Israel é islâmica, desfrutam dos mesmos direitos que os judeus e vivem melhor em Israel do que viveriam em qualquer país islâmico. Você já viu alguma notícia de um muçulmano que tentou fugir de Israel? Você já viu alguma notícia sobre palestinos que vão trabalhar no Egito ou na Jordânia, que também fazem divisa com a Palestina?

    O Estado de Israel não pode ser em outro lugar, por questões históricas e culturais, mas imagine se a ONU decidisse mudar o Estado de Israel para a Amazônia.... em poucos anos Israel seria um país organizado, próspero e democrático, enquanto que a Palestina ficaria mais miserável do que é hoje e o território que hoje é próspero sob o governo israelense ficaria tão miserável quanto o resto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Quanto a isso eu já me manifestei, talvez ainda não aqui, mas em conversas informais, obviamente por brincadeira, que bem que poderia ser séria: que tal seria entregar o Nordeste aos judeus? Quantos meses eles demorariam para botar nos eixos o que em cinco séculos ninguém conseguiu?

      Excluir
  2. O olhar funcionalista da atual situação na Palestina é superficial de mais para sustentar as teorias de que Israel é uma democracia em um oceano de tiranias Islâmicas. Discurso vazio sem profundidade, questões religiosas e políticas são "cortina de fumaça" de um problema muito mais sério. Sabemos das questões sionistas anterior a formação do Estado de Israel em 1948.
    Rodrigo Constantino não tem o menor Know How para escrever nada de política. Colunas e pensamentos superficiais que sozinho não consegue sustentear. Um bosta!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Anonimo diz ter know how sobre o assunto, explique.nos tudo o que não sabemos e voce ilimitadamente sabe.
      Como dizem os suecos: varsågod, min herre.

      Excluir
    2. Sabemos? E o que você sabe que eu não sei? Jag inbjuder dig att visa din visdom... Traduz aí Theresa.

      Excluir
  3. Israel parece um pequeno raio de luz na escuridão do atraso que o império do mal emana.
    O islão alimenta-se da violência para espalhar-se, da ignorância e do baixo grau de desenvolvimento das regiões onde predomina.
    Qatar contribui ainda mais que os iranianos na cruzada terrorista contra Israel e não só.
    E a FIFA ainda quer colocar a Copa do Mundo no esgoto islâmico.

    ResponderExcluir
  4. Israel odiados por quase todos, beneficiando todos. As tecnologias de Israel, tem agregado beneficios a quase todos Países. Quando algum país sofre desastre natural, Israel prontifica auxiliar. Tudo gira em torno de Israel, é uma pedra pesada para as Nações.

    ResponderExcluir