sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Pezão dá subsídio de R$ 39 milhões para SuperVia (da Odebrecht) pagar conta da Light para - pasmem - não afetar os lucros da empresa

Eu andei procurando esse artigo por dois dias, sem encontrar. Acabei achando na Tribuna.

Agora me digam: não é o caso de um impeachment desse canalha?

Globo

Cid Benjamin: Chama o ladrão

Fim de ano é uma época propícia para a aprovação de maracutaias de todo tipo. Políticos vigaristas aproveitam que a população está preocupada com as festas de Natal e Ano Novo e votam coisas de que até Deus duvida. Pois este fim de 2015 não foi exceção. No dia 16 de dezembro, sob a batuta do presidente da Alerj, o deputado Jorge Picciani, foi aprovada uma proposição do governador Luiz Fernando Pezão concedendo um subsídio no valor de R$ 39 milhões para a SuperVia pagar a sua conta de luz à Light. A SuperVia opera os trens no Rio e é controlada pela superpoderosa, e hoje superenrolada em denúncias de corrupção, Odebrecht.

A justificativa apresentada por Pezão para a medida é surrealista: o aumento das tarifas de energia elétrica foi maior do que o previsto, afetando os lucros da empresa. Ora, o aumento das contas de luz onerou a economia de todos os consumidores. Por que o socorro apenas à SuperVia?

A situação no Estado beira a calamidade pública. O próprio Pezão foi obrigado a decretar situação de emergência na área de saúde no Rio. O secretário de Saúde se demitiu, alegando que vai se candidatar no ano que vem, e pelo menos 11 hospitais e 17 UPAs estavam recusando pacientes por falta de condições de funcionamento no momento em que este artigo estava sendo escrito.

A Uerj está a ponto de fechar as portas. Os alunos se cotizam para pagar o transporte de funcionários responsáveis pela limpeza, há meses sem receber. E o governador, sem dinheiro para pagar o décimo terceiro salário dos servidores, acena com uma inacreditável proposta: que eles busquem empréstimos na rede bancária. É um escândalo que, nesse quadro, o estado resolva pagar a conta de luz da SuperVia.

Mas as barbaridades não param aí. Pezão deu benefícios fiscais a grandes empresas, que deixarão de pagar mais de R$ 35 bilhões em ICMS até 2018. Entre elas estão Ambev, Jaguar, Land Rover e Nissan. Seus interesses foram considerados pelo governador mais importantes do que as necessidades da população. E ainda há quem diga que crime organizado é o que comete um adolescente de favela que vende um papelote de cocaína.

Que Pezão é candidato a ser o pior governador do Estado do Rio nas últimas décadas, já se sabe. Ele chega a dar saudades de seu padrinho político, o inesquecível Sérgio Cabral, com suas dancinhas de cancã em Paris, de guardanapo na cabeça.

Que Pezão e seu secretário de Segurança, Mariano Beltrame, não controlam a PM, sendo coniventes com o fato de ela ter se transformado numa máquina de assassínio de jovens pobres e negros, também se sabe. Mas é preciso que a população saiba também que, enquanto o estado afunda, Pezão está dando à Odebrecht esse presente de Natal.

Aliás, no mesmo dia em que ele foi aprovado, a Alerj rejeitou proposta de que não houvesse reajustes das tarifas cobradas pela SuperVia ao longo de 2016, atendendo a outro pedido de Pezão.

Francamente, só mesmo lembrando a música de Chico Buarque: “Chama o ladrão, chama o ladrão!”


Um comentário:

  1. (argento) ... só?

    https://www.youtube.com/watch?v=FlAVedWIZ3M

    ResponderExcluir