sexta-feira, 13 de junho de 2014

Como se não bastasse mais nada, na Venezuela agora tem fila de mortos


A crise de escassez na Venezuela chegou à indústria de caixões, criando filas também para os mortos. A queda na produção foi de 20% a 30% este ano por falta de materiais, segundo autoridades. O preço subiu e os funerais passaram a ser adiados.

O principal item em falta são as folhas de madeira, mas o presidente de uma das maiores fábricas afirma que também faltam cola, tinta e até tecido para o interior dos caixões.

Acorda Brasil!

9 comentários:

  1. Para ser enterrado, um morto, precisa apenas de um buraco!

    ResponderExcluir
  2. Como é que fica a higiene? Não creio que tenham mortuários na Venezuela. Que horror.
    Não há necessidade de caixões, basta mesmo um buraco com 17 palmos ou serão 16?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... de "fundura", apenas 7 palmos

      Excluir
    2. A outra opção é derrubar uma árvore ou mais de uma e tocar fogo no morto, se sobrar morto, enterra-se o resultado.

      Excluir
  3. Aí eu pergunto: e a igreja, deixa?...

    ResponderExcluir
  4. Aí é papo pra mais de palmos - afinal, alguns têm que ganhar né?

    ResponderExcluir
  5. Oh, oh Argento, matar arvores para queimar defunto? Isso é crime, existe gasolina.

    Tratando-se de higiene a Igreja não tem que opinar, qualquer padre inteligente iria entender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... algumas vezes penso que as "Igrejas" não servem a Quem pregam, ... noutras, tenho certeza!
      (argento - Eclesiastes 12:7, Salmo 146:4)

      Excluir
  6. A higiene vai alem d qualquer credo e sem duvida alguma é um perigo para a sociedade ter defuntos ao Deus dará.
    Quando penso na India e uma parte da cultura do povo em relação aos mortos, me revolta o estômago.

    ResponderExcluir