segunda-feira, 1 de abril de 2019

Olavo de Carvalho e sua produção mais recente


Fake ou não, a foto ilustra uma
das muitas caras (de pau)
desse "filósofo" que foi
membro do PCB e oposição
aos militares enquanto eles estiveram
no poder e que agora é incensado
por meia dúzia de idiotas como
"responsável pelo surgimento
da Nova Direita brasileira".
Selecionei a “produção” no Facebook das últimas 12 horas do dervixe, astrólogo, ex-comunista e filósofo pras negas dele, Olavo de Carvalho. 

Arrogância, falta de educação, pobreza intelectual (não confundam intelectualidade com boa memória) são a marca registrada desse celerado. Leiam:

“Parece que nos quartéis por onde o Santos Cruz passou, os soldados, depois de fazer cocô, diziam, para não usar termos chulos: ‘Vou higienizar meu órgão excretor’”.

“ISTO é o Santos Cruz: Se um general nunca se interessou pela minha obra, ele nunca se interessou por uma luta de décadas que cavou um rombo na hegemonia intelectual esquerdista, abrindo espaço para a circulação de idéias antes estranguladas e proibidas e tornando possível o governo do qual esse general faz parte. O interesse desse homem pelo destino da pátria é NULO. Ele obviamente só pensa em si mesmo.”

“O truque do Santos Cruz é camuflar sua mediocridade invejosa sob trejeitos de isentismo e acusar de "extremista" quem o supera intelectualmente.”

“Santos Cruz: sem a minha obra de três décadas, da qual você nada sabe, você jamais teria chegado ao posto que agora ocupa. O presidente Bolsonaro é um homem grato. Você é apenas um monstro de auto-adoração e empáfia.”

“Ao tratar o nosso presidente como se fosse um jovem desmiolado que não sabe escolher suas amizades, o Santos Cruz ofendeu brutalmente não somente a ele, mas a todos os brasileiros que depositaram nele a sua confiança.”

“Você deve pedidos de desculpas não a mim, Santos Cruz, mas ao presidente e seus eleitores.”

“Se ele fosse um debatedor sério, eu proporia o tema: Os militares livraram o Brasil do comunismo ou do anticomunismo?”

“Foi durante o governo militar que os livros anticomunistas simplesmente desapareceram de circulação, substituídos por oceanos e mais oceanos de propaganda comunista.”

“Esse Santos Cruz JAMAIS terá a coragem de discutir comigo de cara a cara. Vai tramar por trás alguma vingancinha ou refugiar-se num silêncio fingidamente superior.”

“Comparar os Santos Cruzes com o herói colombiano Luís Alfonso Plazas Vega me enche de temor pelo futuro da nossa pátria.”

“Quando dava conferências em Bogotá, fui percebendo, nos militares colombianos, gente com experiência diária de combate, uma humildade e um desejo sincero de aprender, que nunca havia notado entre seus colegas brasileiros, que arriscavam a vida em jogos de pingue-pongue no Clube Militar”.

“De hoje em diante, quando ler mais alguma das enormidades que os nossos sapientíssimos produzem sem cessar, minha exclamação de horror será: - Santos Cruzes!”

“Como explicar a fraqueza servil dos generais ante o avenço do movimento comunista que eles mesmos, ate hoje, se gabam falsamente de haver exterminado? Eles eram comunistas? Claro que não. Eram positivistas que se ignoravam, crentes no neutralismo superior de uma elite tecnocrática onissapiente, eles prórios.”

“Só vi a luz no dia em que o Ênio Silveira, o maior editor comunista do Brasil, me confessou, às portas da morte, que sua editora só havia sobrevivido por décadas graças à ajuda do governo militar. Foi então que comecei a perguntar como era possível a presença, nos altos círculos desse governo, de um comunista histórico como o Elio Gaspari, e a sondar outras inconveniências similares.”

“Não venha agora choramingar que foi ofendido, Santos Cruz. Foi você que começou isto, sem a menor provocação, dois dias depois de eu o haver ELOGIADO. Você simplesmente NÃO PRESTA.”

“O general Santos Cruz alega como prova da sua superioridade moral sobre mim a sua ignorância da minha obra e desinteresse em conhecê-la.”

“No Brasil jornalístico, acadêmico e até militar, A IGNORÂNCIA É A MAIOR FONTE DE AUTORIDADE INTELECTUAL. Contrariá-la é ser rotulado de polêmico agitador e extremista.”

“Sem mim, Santos Cruz, você estaria, como disse o Karim Sebti, levando cusparadas na porta do Clube Militar e baixando a cabeça, como tantos de seus colegas de farda.”

Um comentário: