terça-feira, 18 de outubro de 2016

O racismo vem sempre de quem mais se faz de vítima

Por não ser de esquerda, a imprensa ignora o racismo contra Holiday nas redes sociais - O Implicante

O racismo na esquerda se apresenta de uma forma muito nítida: ela não admite que, por exemplo, negros não estejam politicamente alinhados com ela. É o caso de Fernando Holiday, que foi o 13º vereador mais votado de São Paulo após muito criticar o esquerdismo.

Militante do Movimento Brasil Livre, o jovem é um ferrenho defensor do liberalismo tão atacado pelo PT e suas linhas auxiliares. E o discurso do partido finda amplamente ofendido, uma vez que o vereador é negro, homossexual assumido e originário da periferia, três minorias que o petismo alega defender, mas, na prática, não é bem assim.

Não faltam nas redes sociais exemplos de críticas racistas ao militante. E a coisa se ampliou após a eleição do garoto. Mas a imprensa não tem feito o costumeiro barulho pelo simples fato de ele não ser esquerdista. No caso mais recorrente, xingam Holiday de “capitão do mato”. Contudo, a mera certeza de que o liberal deveria manter-se preso a um cabresto ideológico já deveria ser motivo suficiente para indignação.

Esse tipo de coisa é inaceitável. Que Holiday busque as autoridades competentes. E que a imprensa faça seu trabalho como deve ser feito.


2 comentários:

  1. (argento) ... velho ditado popular esquecido, "se não ganha difama", para a Esquerdopatia, Holiday, é só um crioulinho viado querendo aparecer - he he he, "Novos Tempos, Velhos Vícios", plágio descarado de Roberto Carlos ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (argento) ... pergunta sacana: se não representa perigo, para a "ideologia", pra quê perder tempo com um vereadorzinho?

      Excluir