segunda-feira, 13 de março de 2017

Karnal, Moro e a paranoia

Não sou admirador de Karnal e por isso estou muito à vontade para afirmar que fazer tanto escândalo por causa da sua foto em um jantar com Moro extrapola o absurdo. Enquanto, de repente, uma foto mágica deixou órfãos aqueles que tinham em Karnal uma referência à esquerda – até agora são mais de sete mil comentários sobre a postagem no Facebook em que ele se justifica por ter retirado a foto que o expurgou do cargo de guru dos esquerdofrênicos –, os comentaristas mais à direita que gostam de procurar pelos em ovos, dar bom dia pra cavalo e bater palmas pra maluco dançar, farta e inexplicavelmente exploram a “retirada estratégica” do carequinha mais pernóstico do Brasil.

Se algum extraterrestre fosse analisar a humanidade por este episódio diagnosticaria que a paranoia é endêmica na Terra.

6 comentários:

  1. Rodrigo Constantino, saco de bancada do Olavo de Carvalho, está procurando comunistas para ver se consegue virar olavette.

    ResponderExcluir
  2. Para mim ele continua um grande filósofo! E lê lo não é dizer amém. A principal teoria filosófica é Fazer pensar, não necessariamente o ja pensado.

    ResponderExcluir
  3. Mariza Oliveira Lara16 de março de 2017 10:27

    Para mim ele continua um grande filósofo! E lê lo não é dizer amém. A principal teoria filosófica é Fazer pensar, não necessariamente o ja pensado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filósofo??? Como é fácil ser filósofo hoje... No caso, um professorzinho de História que só diz platitudes já virou um. Mas tudo bem. Em um país onde Olavo, Chauí e Sader são considerados filósofos, vale tudo.

      Excluir
    2. Fazer pensar não é uma teoria, é uma desculpa esfarrapada usada por aqueles que não pensam.

      Excluir
  4. Ao lê-la, Mariza me lembrou o Jânio Quadros, e seu "Fi-lo porque qui-lo.
    Apesar de atribuida a ele, nunca a disse...

    ResponderExcluir