quarta-feira, 22 de março de 2017

Bolsonaro tenta dar uma de joão-sem-braço com a grana da JBS, mas se dá mal

Clique para ampliar
A prestação de contas eleitorais acima fui eu mesmo que consultei no TSE e digitalizei. Vejam que há dois lançamentos de R$ 200 mil com o mesmo CNPJ, que é da JBS. A não ser que Bolsonaro apresente o cheque ou o recibo dos R$ 200 mil que diz ter pago ao PP, foram R$ 400 mil que ele embolsou.

Aliás nem que Bolsonaro apresente algum documento nesse sentido sua barra vai ser limpa, já que, mesmo que seja verdade, o que ele fez foi dar uma de joão-sem-braço: recebeu, devolveu e depois pediu o mesmo valor pelo fundo partidário. 

Se Bolsonaro tivesse ficado quietinho e não levantado a própria lebre cagando goma de probo pra dizer que devolveu o dinheiro da JBS, talvez a coisa tivesse passado por hora, porque quando começasse mesmo a campanha presidencial iriam acabar descobrindo.

Vai enganar o cacete! Vejam o rolo que ele fez para explicar o inexplicável:


4 comentários:

  1. É patético. Quer dizer que os outros candidatos tiveram que receber dinheiro da JBS porque o fundo partidário é para o Bolsonaro? Se é que me fiz entender.

    ResponderExcluir
  2. Ricardo, ando correndo na net um vídeo de um sujeito com a lista dos devedores do INSS, dizendo ele que encontrou a lista na pagina da corregedoria do INSS, com uma quantidade fantástica de dívidas encabeçada pela JBS com uma divida ativa de um bilhão. YTem Bradesco, Correios, Caixa Econômica, etc. Você já viu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já vi, Roberto, e baixei a lista do INSS mesmo. Vou publicar.

      Excluir
  3. Agora o povo faz de tudo para colocar ele no mesmo saco dos outros, aceita que doi menos, ele não tem envolvimento com esses bostas, ele tem os defeitos dele mas aliado dos esquerdalhas ele não é...

    ResponderExcluir