sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

A mais cruel verdade


5 comentários:

  1. É uma reflexão significativa, que pode ser ampliada. Os gays, e também os evangélicos, são organizados o suficiente para colocar milhões nas ruas, quando o interesse é restrito, mas quando o interesse é da própria cidadania, não mobilizam ninguém.

    Conclusão: desejam que cidadania os respeite, mas desprezam a cidadania dos outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazer o quê? Os palhaços que se propõem a ir às ruas defender o que já é defendido são todos fãzocas dos "progressistas", que dão corda e patrocinam esse tipo de gente que só faz achincalhar os homossexuais que não fazem do sexo uma bandeira. Ir às ruas contra a corrupção é ir às ruas contra os "progressistas".

      Excluir
    2. Por falar em "progressistas" o PP (Partido Progressista) é o antigo PDS, que substituiu o partido governista no período militar (ARENA). Mas, o mais irônico, é que na bandeira está escrito "Ordem e Progresso", mas a única coisa que progride é a desordem.

      Excluir
  2. Triste conclusão. É duro (epa!), viu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala isso não que eles vão amar. Cruuuuzesssss!

      Excluir